Como pessoa que gosta de ver ambos os lados da maioria dos assuntos, entrei em contacto com um negacionista da covid para tentar perceber melhor o seu lado e argumentos. O que se segue é uma entrevista/conversa que fiz ao António que, para efeitos de privacidade, vou tratar por Toni.

[GD]: Caro Toino, perdão, Toni, então o senhor é aquilo a que chamamos um negacionista da covid, correcto?
[TONI]: Bom, eu sou um negacionista dos efeitos da covid e das medidas que têm sido adoptadas.
[GD]: Quer dizer que acredita na existência do vírus e da doença?
[TONI]: Sim, claro, isso acredito, o que eu não acredito é na sua gravidade, acho que é apenas uma constipação normal e que a mortalidade é inferior à da gripe sazonal.
[GD]: Então, como explica que a taxa de letalidade da covid-19, em Portugal, se encontre nos 1,7% enquanto a da gripe fica abaixo de 0,1%? Mais, se tivermos em conta a mortalidade em pessoas com mais de 65 anos, estima-se uma taxa de 0,8% para a gripe comum, enquanto para a covid, nessa mesma faixa etária, estima-se que seja acima dos 15%. É uma diferença considerável, mesmo com todas as medidas de confinamento, pois sem elas, como quando apenas tínhamos a gripe, os números da covid seriam maiores.
[TONI]: Porque não estão a ter em conta os assintomáticos que não foram testados, se testarmos esses, vamos perceber que há dez ou vinte vezes mais infectados do que os que sabemos o que trará a taxa de letalidade da covid para valores muito mais baixos.
[GD]: Bom, mas isso poderia acontecer com a gripe também, certo? Especialmente porque poucas pessoas fazem o teste do vírus da gripe, por isso a mortalidade poderá também ser ainda menor.
[TONI]: Não faz qualquer sentido isso.
[GD]: Porquê?
[TONI]: Porque não.
[GD]: Porque não, não é uma boa resposta.
[TONI]: Para um negacionista é.
[GD]: Ok, então e a que atribui o aumento vertiginoso de casos que temos visto no último mês em Portugal e um pouco por todo o mundo?
[TONI]: Falsos positivos. 95% dos testes covid dão falso positivo.
[GD]: Onde é que obteve essa informação?
[TONI]: Não posso revelar as minhas fontes, mas foi através de um áudio num grupo de Whatsapp em que um rapaz, que é colega de casa de um amigo que andou a malhar uma recepcionista do Hospital da Luz, afirma isso.
[GD]: Vamos lá ver se nos entendemos. O Toino diz que a mortalidade da covid é baixíssima porque há muitos casos não detectados, mas está agora a dizer que 95% dos casos detectados são falsos positivos. Além de ser uma incoerência, significaria que a taxa de mortalidade seria de 33% o que seria ainda mais grave.
[TONI]: Como assim?
[GD]: Então, teríamos de reduzir em 95% o número de infectados e voltar a fazer as contas da letalidade, é uma regra de três simples.
[TONI]: É uma quê?
[GD]: É uma fórmula simples para fazer esse cálculo.
[TONI]: Pois, eu sou de humanidades, não dei isso na escola, mas esse seu raciocínio não faz sentido nenhum.
[GD]: Ok... e como explica as mortes que temos vindo a registar, numa mortalidade que não se via há mais de 40 anos nesta altura e com o ano passado a ser o ano com mais mortes desde 1920, curiosamente o último ano da pandemia da chamada gripe espanhola?
[TONI]: O ano passado foi coincidência e as pessoas morreram porque estavam com medo da covid e em vez de irem a um mestre Reiki foram a um médico e os médicos andavam muito cansados e paranóicos e acabavam por receitar medicação errada e as pessoas morriam.
[GD]: E de onde tirou essa ideia?
[TONI]: A minha namorada é vegan.
[GD]: E o que é que isso tem a ver com a situação?
[TONI]: Nada, mas tudo o que os vegans dizem é verdade e não é para ser disputado.
[GD]: Temos de concordar nesse ponto. Mas relativamente à mortalidade que estamos a assistir e aos hospitais num caos?
[TONI]: Em relação a esta mortalidade no início do ano, são duas coisas: primeiro, morre sempre muita gente, mas não dá nas notícias e é por isso que eu não vejo notícias na televisão nem jornais há muitos anos. Se não fossem os fóruns, eu nem sabia que as torres do World Trade Center tinham caído quando o Bush as mandou demolir para melhorar a vista da Casa Branca. Depois, isto faz um mês do Natal e as pessoas só comem porcaria no Natal e agora estão a morrer por causa das filhoses que são só óleo e açúcares. Parece-me óbvio.
[GD]: E em relação à ruptura de muitos hospitais?
[TONI]: A culpa é do SNS, a maioria dos médicos e enfermeiros no público ganha muito mal, então como protesto decidiram ir todos de férias nesta altura do ano.
[GD]: Mas as pessoas estão a morrer, efectivamente, do vírus ou também não acredita nisso?
[TONI]: Nem sim, nem não. Para mim, as pessoas estarem a morrer ou não são detalhes para nos distraírem da verdade de que o vírus foi criado pelos chineses para governarem o mundo e controlarem a população, eles já andavam a fazer aquele software de reconhecimento facial que atribuía pontos de bom e mau comportamento aos cidadãos, é só juntar um mais um e perceber a quem dá jeito este medo.
[GD]: Portanto, a China teve tanto trabalho nesse software de reconhecimento facial e agora obriga as pessoas todas a usar máscara… não vê aí nenhuma incoerência?
[TONI]: Isso é mentira.
[GD]: O quê?
[TONI]: Isso que você disse e que me faz parecer incoerente e pouco lógico.
[GD]: Ok, já percebi. O Toino sempre foi negacionista de outras coisas? Conte-nos um bocado sobre si e da sua vida.
[TONI]: A primeira vez que me lembro de negar alguma coisa foi pescada cozida. Era pequeno e neguei; neguei e disse que aquilo era tudo uma cavala.
[GD]: Uma cabala contra si para comer a pescada?
[TONI]: Não, que aquilo era cavala, não era pescada, topei logo pelo cheiro. Os meus pais sabiam que eu gostava de pescada, mas odiava cavala, então tentaram enganar-me como faz o Governo agora com isto da covid. Durante toda a minha adolescência fui um negacionista tanto que quando me fazia a uma miúda e levava nega ficava todo contente por termos alguma coisa em comum.
[GD]: E mais recentemente, além da covid, algum episódio onde tenha ficado patente a sua faceta de negacionista?
[TONI]: Há uns tempos, cheguei a casa e estava a minha namorada de quatro, toda nua, com dois sujeitos posicionados de joelhos, um por trás dela, outro pela frente. Eles estavam também nus e reconheci-os logo como sendo jogadores do Alverca. Mal entro, eles param e a minha namorada começa a chorar a pedir desculpa e eu “Mas desculpa porquê?” e ela “Por te estar a trair com estes dois jogadores do Alverca”. Eu só pensava que ela tinha ficado maluca. Trair? Onde? Aquilo tinha sido, claramente, uma enorme coincidência, até bastante engraçada: ela estava de gatas à procura de uma lente de contacto e os rapazes entraram ali por acaso porque se perderam no fim do jogo. Estavam nus porque aproveitaram para tomar banho já que agora com as regras da covid nem podem usar os balneários, coitados. É que era dia de jogo do Alverca contra o Sacavenense, ambos estão no grupo F do Campeonato de Portugal e a nossa casa fica em Loures que é mesmo a caminho de Alverca de quem vem de Sacavém, isto se forem pela A9. Claro que lhes tinha ficado mais perto ir pela nacional, mas pela A9 às vezes é melhor para fugir ao trânsito. A minha namorada ainda insistiu a pedir desculpas, mas eu tive de lhe explicar que estava baralhada e a ser um carneiro que acreditava em tudo. Ela disse que eu estava em negação e eu agradeci o elogio e estamos juntos até hoje. E temos sempre bilhetes para ir ver o Alverca jogar.
[GD]: Certo. Bem, se calhar podemos dar por terminada a nossa conversa, têm alguma coisa que queira dizer a quem vai ler esta entrevista?
[TONI]: Queria só dizer às pessoas para não terem medo, para saírem de casa e fazerem desobediência civil. O meu restaurante vai abrir em breve novamente, é ali perto do Bairro Alto e estamos na revolução a não ser quando a polícia aparece, aí temos de respeitar o trabalho da autoridade mesmo sendo muito revolucionários e desobedientes como nós somos. Já agora, força Sporting! Este ano é que é! E também espero que o Alverca suba.
[GD]: Espere lá, o senhor não acredita na covid, mas acredita que o Sporting pode ser campeão? Há mesmo quem acredite em tudo. Obrigado e, já sabe, se quiser ser um negacionista mesmo a valer, negue também a sua própria existência saltando de um prédio alto. Obrigado.

Sugestões:
Para ler: Diário de uma bitch, de Zaya Psicopatinhas.
Para ir: Daniel Sloss em Portugal, bilhetes aqui.
Para ouvir: Podcast Epá, por mim não.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.