As escolas preparam a reabertura e o novo ano lectivo promete ser o mais diferente de sempre devido à pandemia que ainda vai no adro. Foram anunciadas várias medidas para minimizar o risco de contágio e muita coisa terá de mudar no quotidiano de milhares de alunos:

- As eleições das listas para a associação de estudantes serão diferentes. Já não vencerá a lista que tem melhor sistema de som e que consegue fazer o maior ajuntamento de alunos no intervalo. Vão ter mesmo de ter medidas a sério para cativar o voto.

- Em caso de surto, os introvertidos e antissociais serão os últimos a ser infectados porque são peritos em manter o distanciamento social, muitas vezes sem ser por vontade própria.

- Uso da máscara é obrigatório o que trará vários problemas e um deles será para professores: já é difícil decorar o nome e reconhecer os alunos todos, agora de máscara será impossível e, por isso, será obrigatório tatuar o nome na testa. Normas da DGS.

- O uso de máscara prejudicará os alunos mais populares que normalmente são os mais bonitos, mas será excelente para aqueles cheios de acne com uma cara que parece uma piza. Isto irá prejudicar as vendas de cremes e maquilhagens. Para quê esconder as borbulhas se ninguém as vê? Finalmente aquela colega do 7º que tem buço, e ninguém tem coragem de lhe dizer, deixará de ser gozada.

- Os intervalos serão mais pequenos o que nas escolas da Linha de Sintra significa menos porrada e assaltos no recreio.

- O jogo do bate pé será proibido.

- As cantinas funcionarão apenas em regime de take away como se a comida não fosse já má o suficiente antes de estar dentro de um recipiente fechado a ficar empapada.

- Os alunos vão ajudar na higienização das salas. Será o primeiro estágio não remunerado de muitos, especialmente para os que estão em artes e humanidades.

- Haverá os alunos com máscaras de marca que vão fazer dela um símbolo de estatuto. Haverá os alunos mais labregos que vão levar máscaras com o símbolo do seu clube de futebol.

- Devido às regras de distanciamento obrigatórias, nas aulas de Cidadania não será possível fazer orgias entre professores, alunos, animais, árvores e bicos do fogão, para descanso do eurodeputado Nuno Melo.

- Há coisas que se mantêm mesmo em pandemia como o facto de quem mete o braço no ar para apenas repetir o que o professor acabou de dizer em género de pergunta, continuará a ser um palerma e não um aluno participativo.

Assim que houver contágios, as escolas correm o risco de fechar novamente e passar para o regime de ensino à distância. Os alunos sabem disso, resta saber se preferem estar na escola de máscara sem poder brincar à vontade com os colegas ou em casa a jogar consola. Se no meu tempo se ligava para a escola com ameaças de bomba para evitar testes e exames, acham que não haverá alunos e lamber maçanetas das portas para criar um surto e deixar de haver aulas? Se calhar estou aqui a dar ideias.

Para ir: Stand-up comedy em Ponta Delgada, dia 10 de Outubro. Info neste link.

Para ver: O filme Tudo acaba agora

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.