A Comissão Europeia (CE) impôs esta quinta-feira, 18 de maio, uma multa de 110 milhões de euros ao Facebook por proporcionar informação “incorreta ou enganosa” durante a investigação que iniciou em 2014 pela aquisição da aplicação móvel de mensagens WhatsApp.

“Atuámos de boa-fé desde o princípio das nossas interações com a CE e tratámos de proporcionar informação precisa em cada momento”, assegurou o porta-voz da rede social num comunicado. Nesta nota, o responsável adianta ainda que “os erros” cometidos em 2014 nos pedidos à CE “não foram intencionais” e que “a CE confirmou que não afetaram o resultado da avaliação da aquisição”. “O anúncio de hoje põe fim a este assunto”, acrescentou.

A Comissão Europeia argumenta que quando o Facebook notificou a aquisição, em 2014, a rede social informou a comissão de que não podia estabelecer de “maneira fiável” a conexão automatizada entre as contas dos utilizadores da Facebook e do WhatsApp.

Contudo, em agosto de 2016, o WhatsApp anunciou uma atualização das condições e da política de confidencialidade, incluindo a possibilidade de associar números de telefone dos utilizadores do WhatsApp aos seus perfis de Facebook.

Em dezembro, a Comissão expôs à rede social a sua preocupação e identificou que, contrariamente ao que tinha declarado esta em 2014, a possibilidade técnica de associar as identidades dos utilizadores no Facebook e no WahtsApp já existia e que os empregados da rede estavam ao corrente desta possibilidade.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.