De acordo com o presidente da ANTRAL, Florêncio de Almeida, esta é “a primeira aplicação de âmbito nacional”.

“É a única presente em Portugal 24 horas por dia, 365 dias por ano, é possível reservar qualquer táxi, até os táxis executivos”, afirmou Florêncio de Almeida.

Para o presidente da associação responsável pelo desenvolvimento da plataforma, que começou a funcionar em meados de 2018 em vários distritos do país, mas ainda não estava presente na cidade de Lisboa, esta aplicação é sinónimo de “compromisso e serviço público”, uma vez que serve “centros urbanos e províncias”.

“Até ao final de abril estimamos ter 3000 viaturas. Queremos reforçar os sinais positivos já dados, com mais e melhor tecnologia e vincar de uma forma clara e evidente que o táxi é essencial e está orientado para o cliente”, disse o presidente da associação.

De acordo com o responsável, qualquer taxista em Portugal se pode associar à plataforma, tendo como único custo 40 cêntimos por cada serviço, “um custo irrisório para manter a plataforma em funcionamento”.

“Se vier a ter rentabilidade [a plataforma], este custo [40 cêntimos] é para baixar e não para aumentar”, esclarecendo que será o industrial a suportar o valor e não o cliente.

Segundo Florêncio de Almeida, a ANTRAL tem como objetivo terminar com o suplemento de chamada (0,80€) atualmente cobrado para suportar o custo de deslocação do táxi desde a praça ao local onde o cliente se encontra, uma vez que o cliente passará a utilizar o táxi que se encontrar mais perto da sua localização.

Durante a apresentação da plataforma, que decorreu em Lisboa, foi ainda possível ver a sugestão de fardamento para os taxistas que será “opcional” e terá “um custo baixíssimo”.

“Nós temos ainda um processo que vai demorar algum tempo porque queremos que este montante que o motorista de táxi terá que despender para comprar este tipo de linha de vestuário moderna seja com um preço muito, muito baixo”, afirmou Florêncio de Almeida acrescentando que espera que o valor se possa fixar nos “15, 20 euros”.

A aplicação ‘Izzy Move’ vai funcionar em paralelo com as rádio táxis, permitindo o acompanhamento constante pelos call centers já existentes.

É possível fazer o download da aplicação para os sistemas operativos android e iOs e no website da aplicação é possível ver a cobertura, de âmbito nacional, que a plataforma já garante.

Governo vai apoiar com 100 mil euros 

O secretário de Estado Adjunto e da Mobilidade, José Mendes, anunciou hoje, na apresentação do alargamento da aplicação de táxis ‘Izzy Move’ a Lisboa, a atribuição de um apoio de 100 mil euros para a continuação do seu desenvolvimento.

De acordo com o secretário de Estado, “esta verba de 100 mil euros servirá para apoiar o desenvolvimento da plataforma”, reconhecendo o Governo “as características distintivas do setor do táxi”.

“Utilizando fundos do Fundo de Transportes estamos a procurar apoiar elementos para uma maior competitividade do setor do táxi como seja, por exemplo, a eletrificação dos veículos, como seja apoiar o desenvolvimento desta aplicação que agora é apresentada e que, tanto quanto me foi dado a ver poderá ser um importante sucesso”, afirmou José Mendes em declarações aos jornalistas.

Para o secretário de Estado, “este é um momento quase histórico”, considerando ainda que o setor do táxi “tem o futuro garantido, mas é preciso modernização”.

“Na questão dos contingentes, podem ganhar uma dimensão supra municipal, metropolitanas ou maiores. Vamos trabalhar pensando no arranque da próxima legislatura”, afirmou José Mendes.

Para o presidente da ANTRAL, a associação responsável pelo desenvolvimento da aplicação ‘Izzy Move’, Florêncio de Almeida as alterações na contingentação trazem benefícios para todos, incluindo nas questões ambientais com “a diminuição substancial da poluição atmosférica”.

“Nós queremos contingentes intermunicipais, não gostaríamos que fosse das áreas metropolitanas porque a Área Metropolitana de Lisboa vai muito para além daquilo que seria necessário. De forma que, havendo contingentes intermunicipais, acho que podemos trabalhar, é mais rentável para o industrial de táxi, mais benéfico para o utente porque paga muito menos do que paga hoje”, afirmou Florêncio de Almeida.

A ‘Izzy Move’ está em funcionamento em Portugal desde meados de 2018 nos distritos de Vila Real, Évora, Leiria, Castelo Branco, Faro, Setúbal e Viseu, somando-se, a partir de hoje, a cidade de Lisboa também à oferta da aplicação, com planos de crescimento para todo o território.

A ‘Izzy Move’ funciona em parceria com as rádio táxis, garantindo um atendimento por telefone 24 horas por dia, 365 dias por ano, sendo possível pedir também o transporte em táxis executivos, letra A ou letra T.

[Notícia atualizada às 19:51]

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.