Chamadas, mensagens, Facebook, WhatsApp e Instagram são algumas das plataformas com que um dono de um negócio, que necessita de fazer marcações com clientes, tem de lidar. (E muitas vezes fora do seu horário de trabalho.) Pensando nesta realidade quatro amigos decidiram criar o BUK: um sistema de marcações cujo objetivo é substituir aquilo a que chamam de "ping-pong de chamadas".

"A BUK ajuda a otimizar o processo de ambos os lados: os serviços a ficarem mais organizados e os consumidores ficam com alguma autonomia para ver e escolher horários", refere André Moniz, um dos fundadores da empresa.

Criado por quatro Andrés — Moniz, Góis, Gonçalves e Santos —, o projeto começou por ser uma aplicação feita à medida para um barbeiro. Mas não demorou até se aperceberem de que o produto também era útil para diferentes tipos de negócios. Atualmente, contam com clientes das mais variadas áreas, como óticas, clínicas veterinárias ou até marcações de reuniões de pais.

Apesar de ter surgido em 2019, foi em maio de 2020 que viram um crescimento exponencial, com o volume de negócio a disparar 260% face ao ano anterior. "A sensação que tivemos foi que avançámos três anos em três meses. A adesão foi muito maior do que esperávamos", diz André Moniz.

BUK

A responsável pelo marketing, Catarina Monteiro, refere que "já havia esta necessidade, mas as pessoas antes da pandemia ofereciam resistência". Agora a BUK conta com mais de 2 mil empresas um pouco por todo o país, inclusive em zonas com menor densidade populacional.

A solução é focada no mercado nacional, tendo integrações como o pagamento através do MB WAY com o objetivo de facilitar o processo para o cliente. É também possível conectar a BUK ao Instagram, por exemplo, garantindo que em poucos cliques a reserva fica feita.

Do lado das empresas também há vantagens, uma vez que as marcações ficam concentradas numa única plataforma, poupando tempo e trabalho.

BUK tem um plano gratuito para quem queira experimentar, mas também oferece funcionalidades pagas, como é o caso dos lembretes automáticos e das campanhas de marketing digital, algo que foi "bastante usada agora no desconfinamento, para avisarem os clientes que iam reabrir", realça André Góis.

Nas primeiras duas semanas depois da reabertura dos cabeleireiros e barbeiros, a BUK contou com um aumento de 30% de novos clientes. No futuro próximo, o foco da empresa irá continuar no mercado português, continuando a garantir "a proximidade com os clientes".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.

Um artigo do parceiro

The Next Big Idea é um site de inovação e empreendedorismo, com a mais completa base de dados de startups e incubadoras do país. Aqui encontra as histórias e os protagonistas que contam como estamos a mudar o presente e a inventar o que vai ser o futuro. Veja todas as histórias em www.thenextbigidea.pt