Assinado durante a conferência Subsea World 2022 em Marselha, o acordo foi firmado pelo Diretor Geral e CEO da AFR-IX Telecom, Norman Albi e pelo COO da Altice Portugal, Alexander Freese.

De acordo com o comunicado enviado as redações, o acordo prevê que "a estação de cabos submarinos de Carcavelos será o ponto ocidental da rota de mais de 8.700 km do Medusa, o mais longo cabo submarino do Mediterrâneo, que ligará nove países de África e da Europa através dos seus pontos de amarração em Portugal, Marrocos, Espanha, França, Argélia, Tunísia, Itália, Grécia, Egipto e Chipre".

Este projeto implica um investimento total de 326 milhões de euros, a começar pela construção do cabo, que ficará a cargo da Alcatel Submarine Networks (ASN) e que "terá segmentos que integram até 24 pares de fibras com um desenho de capacidade de 20 Tbit/s por par de fibras", lê-se na nota.

Este acordo, refere o comunicado, vai permitir "que o primeiro segmento do Medusa, que liga a estação de Carcavelos, Barcelona e Marselha, se torne uma realidade", sendo que A AFR-IX prevê que o cabo chegue a Portugal durante o segundo trimestre de 2024.

"Para além do know-how e das infraestruturas fornecidas pela Altice Portugal, os futuros clientes do Medusa poderão beneficiar da ligação entre a Estação Internacional de Carcavelos e o centro de coinstalação e interligação da rede internacional da empresa em Linda-a-Velha", indica a nota. À responsabilidade da Altice vão estar também "os serviços de amarração do cabo submarino, incluindo energia e condutas desde a praia até à estação; serviços de operação e manutenção, e conectividade entre a estação e outros pontos de referência internacionais em Portugal, nomeadamente centros de dados, outras estações de cabo submarino e teleportos".

"A costa portuguesa sempre foi estratégica para gerar ligações, já que é a porta de entrada para o Atlântico e África Ocidental. Foi decisivo para o Medusa que o início da sua rota fosse em Portugal e Carcavelos oferece as condições ideais para isso", disse  comentou Norman Albi. O CEO da AFR-IX lembrou ainda que o Medusa oferece uma alternativa aos cabos mediterrânicos que já estão a chegar ao fim do seu ciclo de vida.

Já Alexander Freese, Chief Operations Officer da Altice Portugal realçou que "A Altice Portugal, como líder do setor das comunicações em Portugal, orgulha-se de ajudar a criar uma porta de entrada na Europa de ativos tão relevantes na indústria das comunicações como o cabo submarino Medusa, reforçando o seu compromisso para com a economia nacional e global".

A novidade surge depois do ministro das Infraestruturas e Habitação Pedro Nuno Santos ter mencionado aquando à cerimónia para assinalar a amarração do cabo Equiano que mais mais cabos submarinos internacionais estavam a preparar a sua amarração em Portugal num horizonte próximo.

As palavras do ministro ocorreram na inauguração do cabo submarino Equiano, que se encontra ao largo de Sesimbra e permitirá ligar Portugal à África do Sul através de um contrato de concessão assinado pelo Estado português e a Google em setembro de 2021, tendo uma vigência de 25 anos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.