Quando no exterior há calor e humidade, o tecido permite aos raios infravermelhos passar. Quando a temperatura é mais fria e o ar mais seco, o tecido retém o calor do corpo, impedindo-o de se escapar.

A descoberta é revelada esta sexta-feira na edição da revista científica Science, com um estudo da autoria de Yu Huang Wang, professor de Química e Bioquímica na Universidade de Maryland.

O tecido foi criado com fibras feitas de dois materiais sintéticos, um que absorve água e outro que a repele. Os fios são revestidos com nanotubos de carbono, um metal condutor leve.

Como os materiais têm reações opostas à água (um resiste-lhe e outro absorve-a), as fibras distorcem quando estão expostas à humidade como a que é produzida pelo suor do corpo.

Essa distorção aproxima os fios, o que faz abrir poros no tecido, permitindo o arrefecimento e modifica a ligação eletromagnética entre os nanotubos.

"O corpo humano é um radiador perfeito, liberta calor rapidamente", afirmou Min Ouyang, professor de Física em Maryland e um dos autores do estudo.

O investigador referiu que até agora "a única maneira de regular o radiador foi tirar ou acrescentar roupa, mas este tecido é um verdadeiro regulador bidirecional".

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.