Estreia hoje nos cinemas americanos, o filme "À procura de Dory", uma obra de animação sobre um peixe azul chamado cirurgião-patela que vive em recifes (Paracanthurus hepatus). É a sequela do sucesso de bilheteira "À procura de Nemo" e, tal como aconteceu em 2003, é expectável que faça aumentar a venda desta espécie tropical e a sua pesca. E aqui começam as más notícas, já que a captura dos peixinhos que fazem a delícia de miúdos e graúdos tem sido feita com recurso a um veneno com cianeto, denuncia um relatório da organização não-governamental (ONG) For the Fishes.

Craig Downs, do Laboratório Ambiental Haereticus da Virgínia, instituto de pesquisa que elaborou o relatório em conjunto com a For the Fishes, trouxe alguns números para a discussão. Desde o filme de estreia, foram capturados mais de um milhão de "Nemos" ou peixes-palhaço (Amphiprioninae) de recifes tropicais. E uma das formas mais comuns - apesar de ilegal - de capturar esses peixinhos coloridos é usando cianeto. "Para os apanhar, coloca-se cianeto no peixe, ou então ele próprio vai para uma novem de cianeto e fica atordoado", explicou Downs, em entrevista à AFP por telefone.

Mais da metade dos aquários de água salgada comprada por esta equipa de investigadores e ambientalistas em lojas de animais deu positivo no teste de cianeto, segundo o relatório, que considera que os resultados seriam similares em qualquer outro país, já que a maioria dos peixes de aquário provém do mesmo fornecedor. Ainda assim, segundoDowns, no próximo ano serão realizados testes em lojas na Europa.

A equipa aplicou o teste em mais de 100 peixes, incluindo os azuis, como a Dory, dos quais cerca de 300 mil exemplares são vendidos todos os anos. Estes simpáticos peixes são vendidos nos aquários por um valor que vai até 170 dólares por cada exemplar. "Todos os peixes como 'Dory', ou 'Nemo', que eu comprei têm - salvo um - altos níveis de resíduos de veneno", reforçou o cientista, acrescentando que estes peixes "não sobreviveram mais de nove dias depois da compra".

Recifes também em perigo

Pior do que a decepção do cliente é a prática da pesca com cianeto, devastadora também para as barreiras de coral de onde provêm estes bichinhos popularizados pela Pixar e pela Disney. "A pesca com cianeto é muito destrutiva para os recifes de coral, que atualmente sofrem os efeitos das mudanças climáticas. Em todo o Pacífico e Índico, os corais estão a sofrer branqueamento", adverte Downs.

"Um coral nesse estado tem possibilidade de se recuperar, se não houver outro factor poluente em seu redor. Mas, se é lançada uma nuvem de cianeto sobre um recife para atordoar todos os peixes e o coral está a branquear, o recife morre. Todo o coral vai morrer", explicou.

As espécies de peixes não se encontram em risco de extinção, mas, "provavelmente nuns 50 anos, haverá tão poucos recifes, que a maioria de seus peixes estará na lista de espécies ameaçadas", alertou o cientista.

O estudo será apresentado no Simpósio Internacional sobre Recifes de Coral do Havaí na próxima semana.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.