Pedro Pinho assina aqui a primeira longa-metragem, mas o filme de ficção foi construído em conjunto com Luísa Homem, Leonor Noivo, Tiago Hespanha, a partir de uma ideia de Jorge Silva Melo e da peça de teatro "A fábrica de nada", de Judith Herzberg.

O filme, interpretado por atores e não atores, segue a vida de um grupo de operários que tentam segurar os postos de trabalho, através de uma solução de autogestão coletiva, e evitar, assim, o encerramento de uma fábrica.

O realizador fez a estreia mundial do filme em maio passado em Cannes, tendo recebido o prémio da federação dos críticos de cinema.

De acordo com a produtora Terratreme, "A Fábrica de Nada" vai ter estreia comercial em França, Espanha, Reino Unido, Sérvia, Croácia, Bósnia, Kosovo, Suíça, Brasil, Argentina e China.

Tem ainda confirmada exibição em mais de 50 festivais até ao final do ano, nomeadamente em Londres, Rio de Janeiro, Busan, Viena, Sevilha, Argentina, México, Chile ou República Checa.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.