Ninguém ficou indiferente às imagens de ambos durante os 12 anos de relação. Quer fosse nas passarelas ou em declarações públicas de afeto, estava bem à vista no seu olhar o respeito e admiração pelo seu par.

Tanto assim é que, quando se escreve que o tema dominou as redes sociais, o volume em torno da notícia foi imenso. Este pequeno vídeo mostra da melhor maneira o que se quer dizer com isto. Senão, veja:

Mas, segundo a CNN, a maior batalha legal não vai contemplar riqueza, mas sim a custódia dos filhos.

Angelina apresentou os papéis para o divórcio esta segunda-feira, dia 19, de acordo com os documentos enviados ao tribunal de Los Angeles, por "diferenças irreconciliáveis". Nestes, pedia que lhe fosse garantida a total responsabilidade de guarda dos seis filhos do casal, com direitos de visita para Brad Pitt.

“As crianças são algo que o dinheiro não pode comprar”, disse Neal Hersh, advogado especializado em divórcios, em entrevista à CNN. “É claro que se alguém está a querer que limitar o tempo com as crianças e existe um desacordo nesse ponto, esse ponto tornar-se-á uma área de contencioso e assim acontece muitas vezes”.

Por seu turno, o conhecido site de social norte-americano TMZ, admite que apesar de Pitt estimar as qualidades de Jolie enquanto mãe, pretende mais do que o direito à visita dos filhos Maddox, de 15 anos; Pax, 12; Zahara, 11; Shiloh, 10; e os gémeos Knox e Vivienne, de 8. Brad Pitt quer custódia conjunta.

Não se sabe, no entanto, se existe um acordo pré-nupcial. Não existe confirmação quer pelo representante legal de Pitt, quer pelo de Jolie. Ainda assim, a Forbes estima que o casal tenha ganho aproximadamente 117,5 milhões de dólares (105 milhões de euros ao câmbio atual) desde o seu casamento em 2014. Se forem contabilizados os ganhos desde o início do relacionamento de ambos, os valores acrescem para os 672 milhões de dólares (aproximadamente 600 milhões de euros).

Hersh, que conta com mais de 40 anos de experiência em lei familiar, diz que se o acordo pré-nupcial existir, será um documento “minucioso” que deve orquestrar a divisão de bens em caso de divórcio, incluindo os ganhos em conjunto. No estado da Califórnia, porém, este tipo de  acordos são proibidos no que toca à custódia de crianças.

“A questão entre estes dois indivíduos - se é que vai existir uma - terá a ver com a custódia dos seus filhos”, disse o advogado.

E se o casamento terminou, seria de esperar que os pais partilhassem responsabilidades parentais.  No entanto, nos papéis do divórcio, Angelina não pediu por qualquer apoio conjugal  ou pensão de alimentos ao futuro ex-marido

Laura Wasser,  advogada de Angelina Jolie não é nova nestas andanças, tendo já tratado do segundo divórcio da atriz - com o ator Billy Bob Thornton - assim como de outros casos mediáticos que envolveram figuras como Gwen Stefani, Jennifer Garner ou Britney Spears.

Como é esperado e habitual nestes casos de maior mediatismo, os termos da separação são negociados com a maior descrição e antes de serem entregues os papéis em tribunal.

Brad Pitt prestou ontem, terça-feira, as primeiras declarações, à CNN. Mais tarde, chegou um comunicado à redação da revista People, em que conferia por escrito o que já havia declarado.

“Estou bastante triste por tudo isto, mas que o que interessa é o bem estar dos nossos filhos.  Peço encarecidamente à imprensa que lhes dê o espaço que merecem durante estes tempos difíceis.”

Um representante de Jolie já veio a público indicar que esta partilha a visão e intenção de Pitt.

“Esta decisão foi feita com a intenção de preservar o bem estar da família”, disse Robert Offer, um dos advogados de Angelina à CNN, ontem, em comunicado.

“Ela não vai comentar nada por enquanto, e pede que seja respeita a privacidade que a família precisa durante este difícil período”.

As razões que levaram ao divórcio ainda não são conhecidas, existindo apenas especulações em torno dos reais motivos que levaram a que Jolie avançasse com o pedido perante os tribunais. O site  TMZ avança que "fontes próximas" da atriz afirmam que o constante consumo de "erva" e "possivelmente" de álcool, assim como dificuldades em controlar o temperamento de Pitt, levaram que Jolie perdesse finalmente a "paciência" e terminasse a relação.

O "Karma" de Aniston

A ex-namorada de Pitt e presença assídua nos "tabloids" norte-americanos, Jennifer Aniston, terá falado de "karma" quando deu conta da notícia.

"Ela sempre sentiu que algo iria acontecer com eles, eventualmente. Ela não sentia que a Angelina era a mulher com quem o Brad deveria ficar. Sempre achou que a Angelina era demasiado complexa para ele. Ele é um homem muito simples", revelou a fonte ouvida pela US Weeky.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.