Com espetáculos ainda a decorrer no palco principal, Luís Montez, diretor da Música no Coração, empresa que promove o festival, disse em declarações à agência Lusa que passaram pela Herdade da Casa Branca cerca de 200 mil pessoas.

"Ainda não temos isto fechado, mas durante esta semana passaram por aqui 200 mil pessoas", afirmou, destacando sexta-feira como a noite com maior afluência, com espetáculos de Martin Garrix, Dua Lipa e Lil Wayne.

O público estrangeiro tem estado a crescer, com bilhetes adquiridos por pessoas de mais de 40 nacionalidades, indicou.

"Aumentámos de 12% para 18% de público estrangeiro", revelou Luís Montez, destacando que o público inglês e francês "está a crescer muito", embora o espanhol ainda seja "o principal" entre a procura de fora do país.

Com o festival a celebrar 20 anos desde que foi criado, em 1997, o promotor destacou da 21.ª edição, ainda antes de terminar a noite de espetáculos, a "boa música", os "bons concertos", o "bom tempo", os "bons mergulhos no canal", mas também a aposta na melhoria das "condições" disponíveis para "os festivaleiros".

Com dois palcos, três dias de concertos rock e muito pó, o festival Sudoeste desbravou terreno, em 1997, na Herdade da Casa Branca, para começar a "cultivar música" em plena costa alentejana, tendo chegado à 21.ª edição com mais palcos, mais espetáculos, mais público, novas tecnologias e nove dias de campismo.

"O que mais contrasta [entre a primeira e a 21.ª edição] são as condições, temos wi-fi gratuito, temos máquinas de lavar e secar roupa, temos mais limpeza, temos o recinto todo verde", exemplificou o mesmo responsável, destacando que se mantém, no entanto, "o mais importante" que é "a paixão pela música e pelo convívio".

Pelas primeiras edições do festival passaram bandas rock reconhecidas internacionalmente, como Marilyn Manson, dEus, Blur, Suede ou, entre outras, The Cure. Entretanto, o festival foi adaptando o programa de concertos até aos dias de hoje, em que destaca a música eletrónica.

A 21.ª edição do festival Meo Sudoeste começou oficialmente quarta-feira, com a abertura do palco principal para quatro noites de concertos, embora o recinto de campismo tenha recebido "festivaleiros" desde o dia 29 de julho, com direito a animação todos os dias, com música, teatro, performances de circo contemporâneo e oficinas de arte.

Matias Damásio abriu o palco principal do Meo Sudoeste na quarta-feira, seguido por Richie Campbell, Mac Miller e The Chainsmokers. Pelo palco principal passaram também Mishlawi, Two Door Cinema Club, Marshmello, DJ Snake, Lil Wayne, Dua Lipa, Crystal Fighters , Martin Garrix e, a encerrar o festival, Jamiroquai, April Ivy, Dengaz e Afrojack.

O festival Meo Sudoeste tem regresso marcado em 2018, anunciou Luís Montez, entre os dias 08 e 11 de agosto, com abertura do campismo no dia 04 e receção ao campista no dia 07.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.