"No total são 481 moedas, um tesouro que estava no muro de uma segunda ‘domus’ que descobrimos com esta sondagem. São coisas únicas, temos uma moeda do século I, moedas do século II, III, que permitem perceber todo o circuito de comércio à volta do Mediterrâneo durante aquele período", explicou à Lusa o diretor do museu, José Paulo Abreu.

Segundo o responsável, as moedas encontradas, numa sondagem geofísica realizada pelo museu há dois anos, "foram cunhadas desde a Síria, Turquia, Alemanha, França", sendo que os trabalhos, feitos há dois anos, revelaram ainda "toda a Braga Romana" debaixo do edifício do próprio museu, que pertence à diocese de Braga.

José Paulo Abreu adiantou ainda estar nos planos do museu, que ocupa um quarteirão no centro de Braga, continuar a explorar "o que está ali por baixo", existindo "uma candidatura para isso", mas que ainda não tem resposta.

"Temos a Braga Romana toda aqui por baixo do edifício. Temos a possibilidade de pôr à mostra quatro casas romanas, da elite, com arruamentos, muros e os fragmentos que aparece nessas coisas, como cerâmica do alto ao baixo império, vidros, metais", apontou.

As moedas descobertas estão, desde hoje, em exposição no Museu Pio XII.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.