O duo de música eletrónica francês Justice enviou, através do seu advogado, uma carta a Justin Bieber avisando-o que se não alterar o logótipo do novo álbum, intitulado "Justice", a ser editado esta sexta-feira, o caso avança para tribunal.

De acordo com a Rolling Stone, o duo argumenta que o logótipo é uma marca registada em França (2008) e na União Europeia (2014).

"A utilização da marca é ilegal. Não receberam permissão dos Justice para usá-la", lê-se na carta enviada pelo advogado dos Justice à equipa de Bieber citada pela publicação.

"Além disso, o trabalho de Bieber não é, de forma alguma, afiliado, apoiado ou patrocinado pelos Justice. Tal utilização da marca não só é ilegal como provavelmente confundirá os consumidores", acrescentam ainda.

"Devido à vossa apropriação ilegal da marca, ficarão sujeitos a uma ação legal imediata e compensação por danos", lê-se ainda.

A equipa da dupla francesa, através do seu management e editora Ed Banger, afirmam que as semelhanças (a começar pela utilização de um T com a forma de um crucifixo) não são coincidência.

Junto com a carta, segue uma cópia de um e-mail, com data de 29 de abril de 2020, enviado por elemento da equipa de Bieber.

O e-mail solicitava um contacto do designer que fez o logótipo dos Justice: "Dizia que era para um projeto de Justin Bieber, mas não dava quaisquer detalhes de que seria para um álbum chamado 'Justice'". O designer dos franceses mostrou-se disponível para trabalhar com o artista canadiano, mas a comunicação foi interrompida.

Justin Bieber edita esta sexta-feira "Justice", o seu sexto álbum de estúdio.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.