Os dispositivos foram instalados na Reserva Marinha de Watamu (WMU, sudeste), revelou hoje o coordenador dos projetos relacionados com mamíferos marinhos na reserva, Michael Mwang'ombe.

As baleias jubarte (conhecidas também como corcundas ou cantoras) migram todos os anos do Antártico para climas mais quentes, juntando-se em águas quenianas entre julho e agosto para darem à luz e acasalarem, antes de regressarem ao continente gelado em setembro.

As baleias percorrem até cerca de 4.000 quilómetros ao longo da costa oriental de África, para chegarem a águas de Moçambique, Tanzânia ou Quénia e aí cuidarem das suas crias recém-nascidas.

Os “cantores” são os machos, cujas melodias se baseiam numa mistura de refolgares repetidos, estalidos, apitos, gemidos, grunhidos e guinchos.

Os investigadores não têm a certeza da razão pela qual as baleias cantam, embora a maioria concorde que estas canções estão relacionadas com o cortejo.

Como os machos cantam principalmente durante a época de acasalamento, é provável que utilizem as suas “baladas” para atrair as fêmeas, ou talvez também para marcar território, a fim de afastar os rivais.

“Há muito a aprender sobre as baleias corcundas e as suas comunicações. Até agora, entende-se que o canto dos machos melhora o sucesso reprodutivo e atinge o seu auge no momento da reprodução, por isso é um tipo de cortejo”, explicou Mwang'ombe em declarações recolhidas pelo Daily Nation e citadas pela agência Efe.

Tal como o som musical dos humanos, as canções das baleias evoluem com o tempo. Todos os anos, os roncos e gemidos são adicionados, alterados ou eliminados, e transmitidos através da aprendizagem social.

“Pode ser comparado com o desenvolvimento de diferentes canções tradicionais quenianas. As baleias cantam a mesma canção, embora algumas decidam modificar as melodias, uma espécie de improvisação, que é específica de uma área”, disse Mwang'ombe.

Os conservacionistas e biólogos marinhos esperam que estes sons gravados por sensores os ajudem a compreender os locais de reprodução das baleias jubarte no sudoeste do Oceano Índico.

Segundo os especialistas da WMA, as baleias jubarte machos cantam as canções mais longas e complexas do reino animal.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.