De acordo com a organização, este ano, o Jazz em Agosto apresenta um “retrato alargado daquilo a que hoje soam Chicago, Lisboa e Nova Iorque – fazendo ainda uma curta escala em Londres, neste trânsito entre alguns dos lugares onde o jazz vive com uma pulsação mais intensa e criativa”.

A 38.ª edição abre com os Irreversible Entanglements, coletivo que “aponta à libertação e à justiça social” e “um dos nomes de proa da editora International Anthem”. O coletivo, cujo espetáculo está esgotado, alia “uma música tocada sobre brasas às palavras afiadas da poeta e ativista Moor Mother”.

Até 07 de agosto, o festival contará com 12 concertos, que irão dividir-se entre o Anfiteatro ao Ar Livre, o Grande Auditório e o Auditório 2 da Fundação Calouste Gulbenkian.

No domingo, a voz dos Irreversible Entanglements, Moor Mother, volta a apresentar-se ao vivo, mas desta vez na companhia da poeta e flautista Nicole Mitchell. No mesmo dia, atua também o artista multidisciplinar Rob Mazurek, com a Exploding Star Orchestra, projeto que fundou em 2005.

Ainda no domingo, mas na Livraria Ler Devagar/Jazz Messengers, na LX Factory, haverá uma conversa, moderada pelo jornalista Rui Miguel Abreu, com os responsáveis da International Anthem. Após a conversa, de entrada livre, haverá um DJ set, a cargo daquela editora norte-americana.

Para segunda-feira estão agendadas atuações de Jaimie Branch & Jason Nazary e do músico e artista visual Damon Locks com o Black Monument Ensemble, e, na terça-feira, há atuações do guitarrista Tashio Dorji e dos Turquoise Dream.

Na quarta-feira, sobem a palco o Voltaic Trio, que junta o trompetista Luís Guerreiro, o guitarrista Jorge Nuno e o baterista João Valinho, e um quarteto londrino (Pat Thomas no piano, Joel Grip no baixo, Antonin Gerbal na bateria e Seymour Wright no saxofone) que recupera a obra de Ahmed Abdul-Malik.

Para quinta-feira, estão marcados concertos da guitarrista Ava Mendoza e do projeto Communion, do baterista João Lencastre.

O maestro e percussionista Pedro Carneiro apresenta-se na sexta-feira, em duo com o pianista Rodrigo Pinheiro (RED Trio).

No mesmo dia, o trompetista Nate Wooley apresenta “Seven Sorey Moutain VI”, o sexto capítulo de um ciclo que o músico criou inspirado pela autobiografia do monge e escritor Thomas Merton.

Em 06 de agosto, sobem a palco o duo formado pelo guitarrista Bill Orcutt e o baterista Chris Corsano e o Borderlands Trio, formado pelo contrabaixista Stephan Crump, a pianista Kris Davis e o baterista Eric McPherson.

O 38.º Jazz em Agosto encerra com o New Masada Quartet do saxofonista John Zorn, no qual o músico conta com “o seu fiel baterista Kenny Wollesen, o baixista Jorge Roeder e o impressionante guitarrista Julian Lage”.

Também no dia 07, atuam, em duo, a fagotista Sara Schoenbeck e o pianista Matt Mitchell.

Informações sobre horários e preços dos bilhetes individuais e passes do Festival Jazz em Agosto podem ser consultados em www.gulbenkian.pt.

Além do espetáculo de abertura, há outros já com lotação esgotada.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.