Manuel Marsol, madrileno de 34 anos, está em Portugal para apresentar o livro ilustrado "Ahab e a baleia branca", hoje, no festival AmadoraBD, onde está patente uma exposição sobre um outro álbum ilustrado do autor, o premiado "O tempo do gigante".

"Ahab e a baleia branca", com selo da Orfeu Negro, é o primeiro livro de Manuel Marsol e inspira-se no romance "Moby Dick", de Herman Melville. O livro é também "um mergulho nas memórias e nas emoções" da infância do autor, das férias de verão em família, junto ao mar.

No livro, que serve tanto crianças como adultos, há todo um mundo marinho de peixes, raias, medusas e de uma baleia branca, com capacidade de ser montanha, icebergue e canoa, e que escapa à visão de um homem, o capitão Ahab, constantemente em busca no mar.

"'Moby Dick' é um romance onde há muita aventura e ação, mas também há muitos ambientes, um estado de espera, de inquietação, pela própria obsessão de Ahab e pela repetição de estar no mar", explicou Manuel Marsol.

Por ter sido o primeiro livro que concretizou, depois de ter abandonado um percurso na publicidade e de ter feito estudos em ilustração para a infância, Manuel Marsol, perfeccionista, admitiu que teve muitas dúvidas no processo criativo.

"Quando estudas, ouves dos outros ilustradores a importância da relação entre texto e imagem, sabes a teoria, mas outra coisa é quando tens que a executar. (...) Gosto de pensar que os livros têm distintas camadas, os adultos podem ver uma coisa e as crianças outra", disse.

Para Manuel Marsol, as crianças precisam de ter acesso a caminhos diversificados no acesso à cultura, à literatura, à arte.

"A nossa função é dar-lhes mais opções, mostrar-lhes que há mais hipóteses e alternativas, outro tipo e maneira de desenhar. Não sei qual é receita; é dar possibilidades às crianças. Os adultos têm que facilitar isso", defendeu.

Manuel Marsol soma vários prémios internacionais de ilustração - dois dos quais em Portugal -, que têm potenciado e estimulado a produção de livros ilustrados. "São uma maneira de os editores prestarem mais atenção ao meu trabalho", disse entre risos.

Em Portugal saíram "O tempo do gigante", feito com Carmen Chica, premiado em 2015 no AmadoraBD, e agora "Ahab e a baleia branca". O processo criativo de ambos, que passa pela utilização de vários cadernos de esboços, estudos e planeamento, pode ser visto no festival AmadoraBD, onde o autor estará hoje, para uma visita guiada e encontro com leitores.

Atualmente, o autor está a trabalhar num livro-mapa sobre Madrid para a coleção "A minha cidade", da editora Pato Lógico. "Está a ser um trabalho desafiante, porque as minhas ilustrações têm mais a ver com ambientes naturais. Estou a sair da minha zona de conforto".

Manuel Marsol elogia a qualidade da ilustração e do trabalho editorial português, e defende a existência de livros ilustrados que exijam mais tempo de leitura por parte dos leitores.

"Tudo é sempre rápido e feito com pressa. As pessoas querem entender rapidamente o livro que têm à frente. Há adultos que não compreendem o valor deste tipo de livros, acham 'freak', estranho ou 'underground', porque não se ajusta aos cânones da sua cultura visual. É como quando ouves uma canção. Há o 'mainstream', porque é fácil de entender, não dá trabalho para pensar", disse.

Apontando para "Ahab e a baleia branca", Manuel Marsol rematou: "Estes livros requerem um pouquinho de esforço e de tempo, mas a recompensa depois acaba por ser maior. Mas é difícil romper esse ponto em que um livro mereça que se faça um esforço, porque consumimos a grande velocidade".

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.