À semelhança dos demais eventos culturais, devido à pandemia de covid-19, o North Music Festival adiou a edição de 2020 para este ano, apresentando como novidade mais um dia de concertos, cujo cabeça de cartaz, assim como o restante alinhamento, será, entretanto, revelado.

Inicialmente, a realização do festival estava agendada para maio deste ano, contudo, explicou à Lusa Jorge Veloso, diretor do festival e da produtora Vibes & Beats, a organização considerou mais "prudente" avançar com o NMF em outubro, altura em que se espera se possa realizar o festival "dentro de uma nova normalidade".

"Estamos numa fase em a que vacinação está a um ritmo de 100 mil pessoas por dia, vai chegar ao 150 mil por dia nos próximos tempos e nós acreditamos que estamos debaixo dessa proteção", observou, mostrando-se confiante na previsão do Governo, da Comissão Europeia e de autoridades de saúde que apontam para uma imunidade de grupo da população portuguesa ainda antes do final do verão.

A organização do North Music Festival, que tem estado em contacto e constante articulação com a Direção-Geral da Saúde (DGS), Governo, autoridades locais e todas as estruturas competentes, está ainda a ser assessorada por uma entidade privada que, juntamente com a unidade de saúde pública, tem apoiado a tomada de decisões, por forma a garantir o cumprimento de todas as diretrizes para a realização do evento.

Salientando que vão ser realizados "eventos piloto" no país, o responsável pela organização admite que, na ausência de um certificado vacinação, a entrada no recinto do festival seja sujeita a um teste de antigénio negativo, tal como prevê o decreto-lei aprovado, em Conselho de Ministros, no dia 01 de abril, e publicado na semana passada.

O diploma em causa que prevê a possibilidade de este ano serem realizados "eventos teste-piloto", em articulação com a Direção-Geral da Saúde (DGS), para definição de novas orientações técnicas, no setor da Cultura, também admite a realização de testes de diagnóstico do vírus SARS-CoV-2, por imposição da DGS ou por iniciativa do promotor do evento.

Jorge Veloso adiantou ainda que a organização vai promover o modelo de 'cashleve', com a utilização de cartões, 'contacless' e mbway, para evitar transações de dinheiro.

O diretor do festival revelou que o recinto também vai ser ampliado, na expectativa de que, em outubro, a lotação possa ficar perto da habitual.

Questionado sobre o impacto financeiro dos adiamentos do festival, Jorge Veloso não concretiza o valor, mas assume que os prejuízos são elevados, salientando que o foco da organização passou por garantir que os concertos dos cabeça-de-cartaz se realizassem.

O bilhete diário tem o valor de 50 euros e o passe geral terá uma pré-venda limitada, no valor de 90 euros.

Para o público que adquiriu os bilhetes em 2020, e no seguimento do que já foi indicado, estes mantêm-se válidos para as novas datas agora anunciadas, tendo em conta o alinhamento do cartaz.

Já os detentores dos passes gerais (de dois dias no ano passado) têm um 'upgrade' automático, passando a ter acesso aos três dias da nova edição, sem qualquer custo adicional.

Os bilhetes para a quarta edição do North Music Festival estão agora disponíveis para venda nos locais habituais, assim como no 'site' do festival.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.