Lília Nunes Reis, 41 anos, profissional de saúde, foi uma das 50 finalistas na categoria “Faces” do Concurso Huawei Next-Image 2020. Um retrato da filha colocou a portuguesa na lista restrita de um concurso que envolveu 1,19 milhões fotografias tiradas por participantes de mais de 120 países e regiões.

“Era quase Natal. Estava frio. Foi um dia cheio de emoções e desafios difíceis. Finalmente nós — eu e minha filha — estávamos juntas e adormecemos em paz”, confidenciou a fotógrafa amadora.

Os vencedores foram escolhidos com base em seis categorias, com três vencedores na categoria “Grande Prémio”, 15 eleitos para a categoria “Vencedores”, 50 finalistas, nos quais se inclui a fotógrafa portuguesa, e cinco Menções Honrosas.

Cada vencedor da categoria “Grande Prémio” recebeu um fundo de criação Next-Image no valor de 8.500 euros, enquanto que os eleitos da “Categoria Vencedores” receberam um fundo de 850 euros. A todos os vencedores foi atribuído um Huawei P40 Pro.

Os vencedores do “Grande Prémio” são provenientes da Dinamarca, Argentina e China, com inscrições vencedoras submetidas nas categorias 'Hello, Life!', 'Live Moments' e na nova categoria 'Storyteller', que permite fazer colagens com várias imagens, aumentando a flexibilidade do formato para permitir contar uma história.

Contar histórias através da fotografia

Sune Pedersen, dinamarquês, com a fotografia “The Hug”, captou o abraço de um avô no aniversário do neto durante a pandemia, na primeira vez que saiu de casa. Uma folha de plástico serviu de protetor para este primeiro encontro entre avô e netos.

“Não há necessidade de legenda, todos nós imediatamente entendemos a emoção profunda e a situação da fotografia. É uma imagem perfeita. Fala à nossa humanidade, à humanidade de hoje, à distância e proximidade que todos sentimos. Consegue o que poucas fotografias conseguem: uma comunicação imediata que é mais poderosa do que qualquer palavra”, descreveu Reuben Krabbe, fotógrafo de desportos radicais (Canadá) e um dos jurados.

Carloman Macidiano Céspedes Riojas, fotógrafo argentino, registou, em nove imagens, um conjunto de momentos do quotidiano. Intitulada “Resiliência”, a obra foi uma das vencedoras nas categorias “Grande Prémio” e “Storyteller”.

O terceiro ”Grande Prémio” foi atribuído ao trabalho do fotógrafo chinês Lin Haiyin. Num vídeo de quatro minutos, o Mestre do Cavalo conta a inseparável história dos tadjiques (habitantes da República do Tadjiquistão) e dos cavalos no antigo dialeto tadjique, língua Persa.

Para além dos três vencedores da categoria “Grande Prémio” os jurados destacaram alguns trabalhos. Na Categoria “Near Far”, Dong Yanru (China) venceu com a fotografia “Horse Whisperer”, fotografando dois cavalos, juntos, num desfiladeiro. Na Categoria “Hello, Life!”, foram distinguidas duas fotógrafas húngaras. Alena Axenovich venceu com a imagem “Life Goals”, ao retratar um casal de idosos, ela a completar um jogo de palavras, e ele, de chapéu, a ler um livro. E Andrea Biri-Toth, com a fotografia “Summer Time” que capta a imagem de um balde de água atirado à cara de uma criança, do que se presume serem dois irmãos numa brincadeira de verão.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.