O vencedor de cada uma das categorias - Melhor Livro de Ficção Lusófona, Melhor Livro de Ficção de Autores Estrangeiros, Melhor Reedição de Obras Essenciais e Melhor Livro de Poesia, que é eleito este ano pela primeira vez - é conhecido no dia 23 de abril, na Livraria Bertrand Chiado.

O prémio: “A cada uma das obras vencedoras será reservado um lugar de destaque em todas as livrarias Bertrand, ao longo de todo o ano de 2019”.

Dos 149 títulos apresentados à votação, os jornalistas Inês Fonseca Santos e Sérgio Almeida, a convite dos Livreiros Bertrand, escolheram os 30 finalistas.

Os cinco finalistas na categoria de Poesia são: “Nómada”, de João Luís Barreto Guimarães, a Obra Poética I, de António Ramos Rosa, “As Lições da Intimidade”, de Luis García Montero, a “Poesia Reunida”, de Manuel Resende, e “Agon”, de Luís Quintais.

Em Melhor Livro de Ficção Lusófona, os finalistas são “A Amante do Governador”, de José Rodrigues dos Santos, “D. Maria I”, de Isabel Stilwell, “O Homem Mais Feliz da História”, de Augusto Curry, “Princípio de Karenina”, de Afonso Cruz, “A Última Porta Antes da Noite”, de António Lobo Antunes, “Ensina-me a Voar Sobre os Telhados”, de João Tordo, “Jogos de Raiva”, de Rodrigo Guedes de Carvalho, “O Mistério do Caso de Campolide”, de Francisco Moita Flores, “Eliete”, de Dulce Maria Cardoso, e “Pão de Açúcar”, de Afonso Reis Cabral.

Em “Melhor Livro de Ficção de Autores Estrangeiros”, os finalistas são “O Tatuador de Auschwitz”, de Heather Morris, “Chama-me pelo teu Nome”, de André Aciman, “Cada Suspiro Teu”, de Nicholas Sparks, “A Morte do Comendador I”, de Haruki Murakami, “Os Dez Espelhos de Benjamin Zarco”, de Richard Zimler, “Sangue e Fogo - A História dos Reis Targaryen”, de George R. R. Martin, “O Homem de Giz”, de C. J. Tudor, “O Desaparecimento de Stephanie Mailer”, de Joël Dicker, “Um Gentleman em Moscovo”, de Amor Towles, e “A Minha Avó Pede Desculpa”, de Fredrik Backman.

Na categoria de Melhor Reedição de Obras Essenciais estão a concurso “Dona Flor e os Seus Dois Maridos”, de Jorge Amado, “A Leste do Paraíso”, de John Steinbeck, “Os Três Mosqueteiros”, de Alexandre Dumas, “Odisseia”, de Homero, e “Fahrenheit 451”, de Ray Bradbury.

No ano passado os vencedores foram: “Até Que As Pedras Se Tornem Mais Leves Que A Água”, de António Lobo Antunes, como Melhor Livro de Ficção Lusófona, “Homens sem Mulheres”, de Haruki Murakami, em Melhor Livro de Ficção de Autores Estrangeiros, e “Os Miseráveis”, de Victor Hugo, em “Melhor Reedição de Obras Essenciais".

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.