A série tem como pano de fundo as experiências da personagem psicanalista Carlo Antonini e seus pacientes que vivem na cidade de São Paulo, no Brasil.

Além dos pacientes, Carlo enfrenta ainda problemas com a ex-mulher, um filho e enteados, e investiga por conta própria crimes e casos complexos que aconteceram em São Paulo.

"A grande novidade é a entrada de Portugal [na plataforma ‘streaming’ da HBO] que há muitos anos estava no nosso horizonte (...). Ficámos muito felizes de todo o conteúdo desenvolvido no Brasil e na América Latina ter a oportunidade de ser visto em Portugal", disse à Lusa Roberto Rios, vice-presidente de Produções Originais da HBO da América Latina.

"A mossa expectativa é sempre a melhor [para a estreia da quarta temporada em Portugal]. A série ‘Psi’ vai acumulando experiências ao longo das temporadas e surpreende sempre porque tem a capacidade de sempre encontrar histórias novas", completou.

Questionado pela Lusa, Roberto Rios informou que não mediu a audiência da série “Psi” na plataforma da HBO em Portugal, mas disse acreditar que rapidamente haverá um reconhecimento do público português.

"Tenho muitos amigos e família em Portugal. Sei que eles consomem muitos conteúdos e têm uma tradição de consumir conteúdo audiovisual brasileiro", frisou.

A série contempla dez episódios que contam cinco histórias diferentes a partir do roteiro e sob a direção-geral de Contardo Calligaris, que baseia o enredo em acontecimentos reais que recolheu durante encontros com os seus pacientes ao longo dos anos em que trabalhou como psicanalista.

"Os casos retratados no enredo dos episódios de ‘Psi’ são todos casos reais, a grandíssima maioria são casos da minha clínica e uma pequena minoria casos publicados", contou.

Calligaris afirmou também que tem uma grande expectativa em relação à aceitação da série em Portugal.

"A minha expectativa é a máxima, ainda mais porque o livro que cria a personagem da série foi publicado em Portugal, que foi o primeiro país estrangeiro que comprou os direitos do livro", disse à Lusa.

Contardo Calligaris adiantou que a atriz portuguesa Maria de Menezes foi protagonista de uma história na terceira temporada da série que foi contada em dois episódios e que a quarta temporada terá como tema a paranoia, um elemento dominante da sociedade contemporânea.

"A paranóia e uma das tonalidades dominantes do ocidente contemporâneo, não só do Brasil. Há algo muito parecido nos Estados Unidos e em vários países da Europa, excluindo-se Portugal (...). A paranoia é uma clara [ideia] dominante do discurso contemporâneo e isto levou-nos a escolhê-la como tema central da quarta temporada", adiantou o dramaturgo e escritor italiano radicado no Brasil.

Segundo o diretor da série, “a cultura ocidental é paranoica desde o seu começo, porque é fundada no ódio à mulher”.

“Tem um objeto persecutório na cultura ocidental que está lá há 2.700 anos e este objeto é o desejo feminino. Se há um recado que esta temporada dá é que ela vai colocar luz sobre esta questão", concluiu.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.