"Há uma grande probabilidade de que Leonardo tenha feito a maior parte do desenho", afirmou à AFP Mathieu Deldicque, conservador do património do Museu Condé, no Castelo de Chantilly. "Mas queremos ser sérios e científicos. Não temos uma certeza absoluta e nunca a teremos", admitiu.

A "Mona Lisa nua" é um rascunho em carvão que representa uma mulher com os seios à mostra, um sorriso tímido, sentada na mesma posição que a famosa Mona Lisa do Museu do Louvre.

As análises com microscópio revelaram que foi desenhado por uma pessoa canhota, e Da Vinci (1452-1519) desenhava com a mão esquerda.

Durante muito tempo, foi considerada uma obra original de Da Vinci, que teria servido para executar a pintura de uma "Mona Lisa nua", conservada atualmente no Museu Hermitage, em São Petersburgo.

Mas este óleo foi finalmente considerado uma simples cópia do seu atelier, de modo que o desenho deteriorado pelo tempo e pela humidade acabou por ser igualmente relegado para segundo plano.

A preparação de uma exposição prevista para junho de 2019 em Chantilly com o motivo dos 500 anos da morte de Leonardo da Vinci levou o museu Condé a fazer com que este desenho fosse analisado pela primeira vez.

"Descobrimos muitos elementos novos", sobretudo "estes traços de canhoto", segundo Deldicque.

Além disso, "a qualidade do desenho", assim como o uso da técnica do esfumaçado, apreciada pelo artista, também apontam para sua autoria.

Por último, o desenho foi modificado durante a sua realização, "o que prova que não é uma cópia, mas uma obra original do criador", segundo o conservador.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.