Este é o primeiro romance de Paul Auster em sete anos e será publicado pela editora Asa em Portugal no exato dia em que o escritor norte-americano celebra 70 anos.

A edição do novo título, traduzido para português por Luís Rodrigues dos Santos, celebra também os 30 anos da publicação do seu primeiro romance, o policial “Squeeze Play”, editado sob pseudónimo de Paul Benjamin.

“O que nos motiva?”, “O que nos leva a optar por um caminho em detrimento de outro?” e “De que futuros abdicamos pelo simples facto de termos apenas uma vida para viver?” são as questões que subjazem à história de um pequeno herói conduzido por quatro vidas diferentes.

Filho único de Rose e Stanley Ferguson, a personagem de ficção Archibald Isaac Ferguson nasce na cidade de Newark, a 3 de março de 1947, um perfil que encerra coincidências temporais e espaciais com o próprio autor, nascido naquela cidade, a 03 de fevereiro do mesmo ano.

Archie Ferguson é uma criança a quem são dados quatro caminhos diferentes: quatro vidas paralelas, mercê das circunstâncias, do acaso e das escolhas, detalha a editora do grupo Leya.

“Os contrastes entre os quatro Fergusons são evidentes. As distintas relações com a família e as amizades, o amor romântico e as paixões intelectuais percorrem a tumultuosa paisagem da América, entretecendo-se com momentos cruciais da História do século XX”, acrescenta.

As quatro facetas de Archie Ferguson têm apenas em comum o fascínio por uma mulher, Amy Schneiderman, mas cada uma das relações entre os quatro Fergusons e Amy é única, levando o leitor a testemunhar cada momento de prazer e de dor, cada lento avançar rumo ao inevitável culminar de todas as suas vidas.

Na opinião da editora, “4 3 2 1” é “a criação de um autor no auge do seu talento, um testemunho de paixão pelo realismo, pela história e a própria vida”.

O próprio autor, numa entrevista concedida ao jornal britânico The Guardian, admitiu que esta obra de 900 páginas é o livro mais importante da sua carreira.

Também os críticos literários parecem concordar com esta perspetiva, como se lê na Booklist, publicação da American Library Association, que considera este romance o “mais abrangente, erótico, divertido e comovente de sempre”.

“Uma obra arrebatadora”, acrescenta a publicação de crítica literária.

O The Times escreve que “em cada momento do quotidiano narrado por Paul Auster há uma pincelada de magia”, enquanto a revista literária americana Kirkus considera que este romance de Paul Auster “é uma jogada de mestre”.

“Lembra-nos que a narrativa, tal como a vida, é sempre condicional, que parece inevitável apenas a porteriori”, acrescenta.

O escritor, que vai estar em Portugal em setembro para participar no próximo Festival Internacional de Cultura de Cascais, conta “com milhões de livros vendidos em todo o mundo”, tendo vendido, só em Portugal, “mais de 220 mil exemplares”.

“Sunset Park”, o seu anterior romance, foi publicado em 2010, a que se seguiram os livros de não-ficção “Diário de Inverno” e “Relatório do Interior”, em 2012 e 2013, respetivamente.

O autor de "Leviatã", "Mr. Vertigo" e "Trilogia de Nova Iorque" é membro da Academia norte-americana de Artes e Letras, da de Artes e Ciências e, desde este mês, presidente do PEN América, cargo que aceitou para liderar a oposição dos escritores americanos ao novo presidente norte-americano, Donald Trump.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.