Basta consultar a pesquisa dos sites e procurar por: Donald Trump. Os resultados podem variar no tom, mas dificilmente variam no volume. O primeiro mês do novo presidente americano foi intenso, de uma intensidade que dificilmente terá precedentes no que respeita à presença nos media.

O alcance desta presença está longe de ser passível de avaliar, mas são já várias as vozes que alertam para o perigo de uma 'intoxicação' Trump, ou seja, um volume de informação de tal forma excessivo que possa provocar a quem o lê o efeito de distanciamento ou indiferença, seja o conteúdo relevante ou não.

Os meios de comunicação social procuraram dar resposta a esta avalanche de notícias, entrevistas, reportagens, comentários, análises de formas diversas e com posicionamentos diferentes. O jornal conservador britânico The Telegrapgh, por exemplo, optou por manter um acompanhamento "ao minuto" vários dias depois da eleição de Donald Trump e quando se escolhe ver toda a informação publicada sobre ele os números são esclarecedores da intensidade: na passada sexta-feira, dia 17 de fevereiro, por exemplo, foram publicadas 19 notícias.

Nos Estados Unidos, alguns meios assumiram um papel de permanente monitorização e, em sites como o Mic.com, um novo projeto de media direcionado sobretudo a millenials, a opção de escrutínio permanente é visível numa área permanente na sua página mas também através de uma newsletter criada para todos os que queiram acompanhar diariamente o que faz e o que diz o presidente americano e aqueles que o questionam.

Mas só passou um mês. É esse mês que lhe propomos revisitar. Começámos por avaliar quantas notícias tinham sido publicadas no SAPO 24 desde a tomada de posse: excluindo as de hoje, foram 219 notícias num mês. Uma média superior a 7 por dia. Barack Obama, em setembro de 2016, foi alvo de 27 notícias no conjunto dos 30 dias. Certo que era um presidente de saída, enquanto Trump é um presidente em início de mandato, e que o tipo de interesse que um a e outro suscitam é substancialmente diferente - mas, na realidade, Obama nunca de poderia queixar de falta de interesse da imprensa, que aliás perdura já depois de ter abandonado as funções de presidente.

Por isso, propomos uma visita guiada ao mês 1 da presidência Trump usando o "resumo do dia" do SAPO 24,  uma ferramenta que foi criada para assinalar o que de mais importante se passa a cada dia que passa, para o arquivar e para permitir a consulta através de um calendário a qualquer data desde setembro de 2016. O que o resumo mostra é resultado de duas variáveis: os artigos que os editores do SAPO 24 assinalam como sendo os mais relevantes do dia e os artigos que os leitores seleccionam nas suas escolhas de leitura, tornando-os mais populares. Permite, por isso, uma leitura a partir de dois ângulos e foi com essa base de trabalho que selecionámos entre dia 20 de janeiro e dia 19 de fevereiro as 30 notícias sobre Donald Trump que mereceram esse destaque. Ficam de fora algumas que a nossa memória de editor diz serem relevantes, mas, como já explicado, esta é uma ferramenta que faz essa ponte entre quem escolhe e quem lê.

20 janeiro

A partir de hoje, será sempre a América primeiro, disse Trump num discurso marcado pela defesa do protecionismo.

21 janeiro

Uma certa ideia da América, jovem, promissora, moderna, acabou ontem com a tomada de posse de Donald Trump. Ou, talvez, tenha ficado apenas suspensa.

22 janeiro

A versão em espanhol da página 'web' da Casa Branca desapareceu da internet pouco depois de o novo Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ter sido investido no cargo.

23 janeiro

Um grupo de advogados apresentou hoje em Nova Iorque uma ação judicial contra o Presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, acusando-o de violar a Constituição ao receber pagamentos de Governos estrangeiros através das empresas imobiliárias que possui.

24 janeiro

O presidente norte-americano Donald Trump aprovou esta terça-feira o projeto de dois oleodutos, cuja construção tinha sido bloqueada pela anterior administração devido a uma forte pressão de grupos ambientalistas.

25 janeiro

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou em entrevista a um canal de televisão americano que a construção do muro na fronteira com o México começará em breve e que o seu país vizinho reembolsará os EUA pelo mesmo.

26 janeiro

Donald Trump aumentou ainda mais a tensão com o México, esta quinta-feira, ao aconselhar o presidente mexicano Enrique Peña Nieto a cancelar a sua visita a Washington caso este não pretenda pagar pelo muro que será construído na fronteira entre os dois países.

27 janeiro

"A nossa relação nunca foi tão forte", disse Donald Trump no final do encontro com Theresa May. A primeira-ministra britânica aproveitou para anunciar que Isabel II convidou o recém-empossado Presidente dos EUA para visitar o Reino Unido e este até já aceitou. Diplomacias à parte, é de referir neste encontro o compromisso de ambos com a NATO e vontade de trabalhar num acordo comercial bilateral. Trump e May mostraram-se empenhados na promoção de uma relação frutífera entre os seus dois países.

28 janeiro

O Irão vai proibir a entrada de norte-americanos, reagindo à decisão "insultuosa" do Presidente dos EUA de restringir chegadas com origem em território iraniano e mais seis Estados muçulmanos, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros.

29 janeiro

Desde que Trump assinou o decreto a impedir a entrada de imigrantes de várias nacionalidades no país, multiplicam-se os protestos nos aeroportos. O presidente recém-empossado não dava sinais de recuar da decisão e até o Departamento de Segurança Interna se comprometeu hoje a cumprir a ordem executiva presidencial. Agora, Casa Branca decide aliviar a pressão e informa que os imigrantes portadores de visto de residência permanente (green card) não serão impedidos de regressar à América.

30 janeiro

A Casa Branca fez hoje um ultimato aos diplomatas que protestaram oficialmente contra o decreto do Presidente norte-americano, Donald Trump, que proíbe a entrada nos Estados Unidos de cidadãos de sete países muçulmanos.

31 janeiro

O ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Mohammad Javad Zarif, advertiu hoje os Estados Unidos para não procurarem "um pretexto" para criar "novas tensões" em relação ao programa de mísseis balísticos do Irão.

1 fevereiro

O Governo dos Estados Unidos aumentou as restrições para a concessão de vistos de entrada aos brasileiros, regras que entraram em vigor na segunda-feira e tornam o processo mais extenso.

2 fevereiro

O Presidente norte-americano, Donald Trump, reiterou que “o Irão foi colocado formalmente sob aviso por disparar um míssil balístico” e acrescentou que Teerão “devia estar agradecido pelo acordo terrível assinado com os Estados Unidos”.

3 fevereiro

Kjell Magne Bondevik é atualmente presidente de uma organização de direitos humanos e viajava da Europa para os Estados Unidos para assistir a um evento que contou com a presença de Donald Trump. Em 2014 tinha visitado o Irão e por isso foi interrogado.

4 fevereiro

Trata-se de uma das leis emblemáticas do mandato de Barack Obama e foi pensada para prevenir os excessos de Wall Street e situações de bancos que se tornaram conhecidos como "too big to fail". O presidente Donald Trump acabou de decretar a sua revisão numa decisão que muitos analistas vêem como o princípio do fim desta legislação.

5 fevereiro

O Presidente norte-americano, Donald Trump, disse à estação televisiva Fox que respeita o seu homólogo russo, Vladimir Putin, e quando o entrevistador apelidou Putin de "assassino", Trump afirmou que também há muitos assassinos nos Estados Unidos (EUA).

6 fevereiro

Pete Souza, o fotógrafo oficial da Casa Branca durante a presidência de Obama, tirou mais de dois milhões de fotografias nos oito anos que acompanhou Barack e a sua família. Se uma fotografia pode valer por mil palavras, o “Açoriano” usa as suas para salientar as diferenças entre o ex-presidente e Donald Trump.

7 fevereiro

Chama-se Stephen Bannon, é inteligente, astuto, obstinado, provocador, bizarro, polémico e descarado. Muito hábil a desenhar e construir estratégias e perito em manipulação. É um ultra, admirado pela direita mais estridente nos EUA. Há vários anos que não esconde a sua ambição: destroçar o atual establishment global, aquilo que ele chama de “o partido de Davos”. Assume que gosta de estar no lado obscuro da força. É tão poderoso que a revista Time acaba de lhe dedicar uma capa em que o apresenta como o “grande manipulador” e o The New York Times até já perguntou num editorial se não será ele, Bannon, o presidente.

8 fevereiro

A cadeia norte-americana Nordstrom anunciou que irá deixar de vender a linha de roupa, calçado e acessórios da filha de Donald Trump, Ivanka. O Presidente não gostou e criticou a empresa na sua conta pessoal da rede social Twitter. Até aqui tudo normal. Não fosse a conta do Presidente ter partilhado a mesma informação.

9 fevereiro

Uma conselheira de Donald Trump provocou mais uma polémica sobre os conflitos de interesses na Casa Branca, ao apelar à compra dos produtos da filha mais velha do presidente, retirados de venda por uma cadeia de distribuição.

10 fevereiro

Donald Trump garantiu ontem, em telefonema com o presidente chinês, que os Estados Unidos irão manter o compromisso de "uma só China". A expressão entrou na gíria internacional e nós explicamos-lhe o que significa.

11 fevereiro

21,6 mil milhões de dólares (20 mil milhões de euros) e mais de três anos para construir o muro na fronteira com o México. Os números são de um relatório do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos, mas Trump garante que o preço vai baixar. Como? Porque se vai envolver pessoalmente nas negociações.

12 fevereiro

Donald Trump defendeu este domingo as primeiras expulsões de imigrantes ilegais da sua Presidência, dirigidas contra estrangeiros sem documentos e considerados criminosos. Legisladores democratas pedem esclarecimentos.

13 fevereiro

O apresentador britânico John Oliver, anfitrião do "Last Week Tonight”, programa de televisão muito popular nos Estados Unidos, anunciou que vai comprar espaço publicitário nos principais canais de media para "educar" Donald Trump e evitar que o Presidente dos EUA tome decisões erradas baseadas em dados incorretos.

14 fevereiro

Nos EUA, a Reserva Federal é o equivalente ao Banco Central Europeu no Velho Continente. Basicamente, a Fed (diminutivo do organismo) é responsável pela regulação do mercado financeiro norte-americano e tem à sua frente Janet Yellen, uma mulher de 70 anos que promete não tornar fácil a vida de Donald Trump na presidência de uma das maiores economias do mundo.

15 fevereiro

Auxiliares de campanha de Trump contactaram repetidamente com agentes secretos russos durante a campanha do atual Presidente dos EUA. A notícia, avançada pelo The New York Times, surge depois de Michael Flynn, assessor para a Segurança Nacional, se ter demitido por causa de conversas com embaixador russo. Flynn é ainda suspeito de omitir informação ao FBI.

16 fevereiro

O Presidente norte-americano Donald Trump prometeu esta quinta-feira a apresentação "para a próxima semana" de um novo decreto sobre imigração, no decurso de uma conferência de imprensa em Washington.

17 fevereiro

O secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, apelou hoje à China para tentar "por todos os meios (...) moderar" a Coreia do Norte após um novo tiro de míssil, indicou um dos seus porta-vozes.

18 fevereiro

O presidente americano regressou aos ataques aos meios de comunicação social. Ontem publicou uma mensagem no Twitter e no dia anterior, em conferência de imprensa, afirmou que os media estão "fora de controlo" e que os jornais "distorcem" as informações sobre o seu governo, coisa que garantiu "não irá permitir que aconteça".

19 fevereiro

Num discurso na Florida, Donald Trump protagonizou um novo episódio sobre atentados que nunca existiram. Ontem, o alegado alvo teria sido a Suécia, país onde a noite de ontem foi apenas marcado pelo festival local da canção.