A retirada dos animais, "de forma coerciva", por elementos da PSP e da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira resultou de "uma sequência de denúncias", de vizinhos, de "maus cheiros e ruído", segundo explicou à Lusa a vereadora com o pelouro da Ação Social, Fátima Antunes.

"Trata-se de uma senhora com problemas de saúde mental. Já há algum tempo que nos tinham chegado queixas de maus cheiros e de ruído e, desde aí, que a Câmara fez várias diligências, para verificar a situação, mas ela nunca nos tinha aberto a porta", justificou.

A autarca explicou que a oportunidade para comprovar a existência dos animais foi quando a proprietária esteve internada no hospital: "Aí os técnicos puderam comprovar e solicitar as autorizações necessárias para se poder atuar", apontou.

Os 38 cães (30 adultos e oito cachorros) foram encaminhados para o canil de Vila Franca de Xira, onde "serão tratados até terem condições de ser adotados".

Já a proprietária dos animais, uma septuagenária, encontra-se atualmente internada num lar.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.