A tomada de posse presidencial nos Estados Unidos da América é feita envolta em várias tradições. Tal inclui a possibilidade de o Presidente-eleito escolher a Bíblia sobre a qual vai jurar a sua entrega e dedicação à nação.

Ora, Donald J. Trump fez uma escolha pouco comum. O magnata escolheu jurar, esta sexta-feira, sobre duas bíblias, a chamada Bíblia de Lincoln, um livro de veludo utilizado durante a tomada de posse de Abraham Lincoln, em 1861, e a Bíblia oferecida pela sua mãe, depois de ter concluído o ensino primário, em 1955.

Ao contrário do que seria de esperar, a Bíblia de Lincoln não é, historicamente, a bíblia da família que tinha passado de geração em geração na família Lincoln. Clark Evans, funcionário da Biblioteca do Congresso, explicou à US News que este foi um livro emprestado por William Thomas Carroll, membro do Supremo Tribunal ao Presidente Lincoln para a cerimónia, uma vez que o histórico Presidente dos EUA não tinha nenhuma consigo. Depois do assassinato de Abraham Lincoln, a Bíblia sobre a qual o Presidente tinha jurado, passou para a sua família e ficou na sua posse até 1928, ano em que foi doada à biblioteca.

“Não somos inimigos, mas sim amigos. Não devemos ser inimigos. Embora o ódio nos leve até o limite, não deve romper nossos laços de afeto”.

Em 45 presidentes, apenas 3 optaram por jurar sobre a Bíblia de Lincoln. Barack Obama foi o primeiro a fazê-lo depois do próprio Abraham Lincoln. Obama fê-lo como símbolo de unidade nacional, em memória da herança de Lincoln, icónico por ter libertado os escravos, e, como primeiro Presidente negro, por respeito pela história negra nos Estados Unidos.

Um porta-voz da comissão de tomada de posse de Donald Trump disse que o Presidente-eleito também se inspirou nas palavras do histórico Presidente dos EUA, relembrando as célebres palavras de Lincoln: “Na sua tomada de posse, o Presidente Lincoln apelou aos ‘melhores anjos da nossa natureza’.

"As cordas místicas da memória, que se estendem a cada sepultura do campo de batalha e túmulos patriótico a cada coração vivo e cada lar por toda esta vasta terra, incharão o coro da União, quando novamente tocados, como certamente serão, pelos melhores anjos da nossa natureza.

Tom Barrack, o homem que esteve à frente dos preparativos para a cerimónia desta sexta-feira disse, na passada terça-feira, que o Presidente Trump é digno de colocar as mãos em duas bíblias de “sentido especial para sua família e para o nosso país”.

Donald Trump toma posse esta sexta-feira como 45º Presidente dos Estados Unidos da América, depois de nas eleições presidenciais de 8 de novembro de 2016 ter derrotado a candidata democrata Hillary Clinton.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.