De acordo com o Portal da Vigilância de Mortalidade, cujos dados apresentados desde 2013 são atualizados com base na informação recolhida pelo Sistema de Informação dos Certificados de Óbito (SICO), no dia 20 de janeiro morreram 722 pessoas em Portugal.

Desde o início do ano, que o gráfico apresenta um número de mortes superior em relação à média dos últimos anos, pelo que, até ao momento, sugere que janeiro de 2021 será o mês com mais óbitos registados em Portugal.

Historicamente, janeiro e dezembro são, por norma, os meses com maior número de mortes, uma tendência associada a uma maior incidência de infeções respiratórias devido ao frio e época de gripe. Janeiro apresenta uma média de cerca de 400 por dia, mas em 2021, momento em que o país atravessa a fase mais difícil até hoje da pandemia de covid-19, os números registaram um grande aumento.

O máximo de mortes registado na última quarta-feira apresentou um aumento acentuado na região Centro. No dia 20 de janeiro, morreram 237 pessoas na região de Lisboa e Vale do Tejo; 194 pessoas na região Norte; 169 pessoas na região Centro; 65 pessoas na região do Alentejo; 26 pessoas na região do Algarve; 14 pessoas na Madeira e 6 pessoas nos Açores, havendo ainda registo de mais 10 como desconhecidas

Em relação aos mortos por covid-19, o maior número de mortes foi registado na região de Lisboa (85), seguindo-se a zona Centro (59), o Norte (53), o Alentejo (16) e o Algarve (8).

Os números do boletim epidemiológico de quinta-feira correspondem às 24 horas anteriores, por isso, os números ontem divulgados referem-se a quarta-feira, dia 20 de janeiro, até ao momento, o maior número de mortes por covid-19 (221).

Mortalidade em Portugal durante 2020 foi 10,6% superior à média 2015 - 2019

Os número de mortes em Portugal durante 2020 foi 10,6 % maior em relação à média dos anteriores cinco anos, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), tendo registado 123.409 óbitos, mais 12.220 do que entre 2015 e 2019.

No dia 31 de dezembro, registavam-se 6.906 mortes atribuídas à covid-19, ou seja, 56% do excesso de mortalidade de 2020 em relação à média 2015-2019.

De acordo com dados preliminares do INE, durante os primeiros dois meses do ano passado a mortalidade foi inferior ao período de referência dos cinco anos anteriores, mas depois de terem sido diagnosticados os primeiros casos de contágio pelo novo coronavírus, todos os meses aumentou a mortalidade em excesso.

Desde março até ao fim de 2020, houve 101.669 mortes em Portugal, mais 13.495 em relação à média do mesmo período medido entre 2015 e 2019.

Um quinto das mortes na primeira semana de 2021 foram atribuídas à covid-19, indica o INE, que registou 3.634 mortes no total, mais 830 do que a média do mesmo período entre 2015 e 2019.

[Notícia atualizada às 12:14]

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.