Segundo os moradores, que denunciaram o caso na reunião do executivo camarário, a situação arrasta-se há cerca de três semanas e está a dar “má imagem” ao bairro e para a cidade, além de constituir um foco de insegurança.

“Estão lá três tendas e uma carrinha, deve ser para ver se conseguem casa com as obras de requalificação do bairro. A Polícia Municipal já lá foi, mas eles recusaram sair”, acrescentaram os moradores.

Na resposta, o presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, disse que aquele acampamento “obviamente não vai permanecer no local”, porque se trata de um espaço público.

“Terão que ser encontradas soluções para resolver a situação com a máxima brevidade possível”, referiu o autarca.

Rio deixou claro que o município "não tem resposta disponível” para o alojamento daquelas famílias.

Explicou que há gente em fila de espera para uma habitação social e que há critérios para a atribuição de casas.

Por isso, considerou que, em primeira instância, o assunto terá de ser resolvido pela Segurança Social, podendo também, “em situação limite”, ser pedida a intervenção da PSP caso o acampamento não seja levantado.

“O local para tendas é no campismo”, referiu.

O Bairro das Enguardas está a ser requalificado, tendo, entretanto, uma família sido despejada por estar a ocupar ilegalmente uma fração.

Essa família montou tenda à porta do bairro, tendo posteriormente outras famílias, oriundas de fora do concelho, feito o mesmo, “certamente na expectativa de conseguirem ali uma habitação”.

Segundo os moradores que denunciaram o caso, há registo de alguns assaltos na zona depois da instalação do acampamento.

“Estamos a acompanhar a situação e o objetivo é erradicar o acampamento o mais depressa possível”, garantiu Ricardo Rio.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.