1. As mudanças climáticas empurraram pessoas a juntarem-se aos talibãs

O Afeganistão é o sexto país mais afetado pelas mudanças climáticas mundialmente, de acordo com o Índice de Risco Climático da ONG Germanwatch.

Planeta A

Uma volta ao mundo centrada nos temas que marcam.

Todas as semanas, selecionamos os principais trabalhos associados à rede Covering Climate Now, que o SAPO24 integra desde 2019, e que une centenas de órgãos de comunicação social comprometidos em trazer mais e melhor jornalismo sobre aquele que se configura como um tema determinante não apenas no presente, mas para o futuro de todos nós: as alterações climáticas ou, colocando de outra forma, a emergência climática.

A agricultura é o principal meio de subsistência de mais de 60% da população afegã e, ao longo dos últimos 20 anos, tem representado entre 20% a 40% do Produto Interno Bruto (PIB) do país. 

Quer seja devido à seca ou ao solo devastado por enchentes, os agricultores da região lutam para manter as colheitas e o gado produtivos. Combinando com o sentimento de abandono pelo governo, o recrutamento pelos talibãs torna-se mais fácil. Além disso, o grupo terrorista paga aos seus membros entre 5 a 10 dólares por dia - mais do que conseguiriam ganhar com a agricultura.

Para ler na íntegra em CBS News

Acra
créditos: ABC News

2. Para onde vão as roupas que doa?

Cerca de 15 milhões de roupas usadas chegam a Acra, a capital do Gana, todas as semanas, vindas do Reino Unido, Europa, América do Norte e Austrália, inundando o mercado de roupas da cidade. 

Estima-se que 40% são de qualidade tão baixa que são consideradas inúteis na chegada e acabam despejadas em aterros sanitários. 

Para onde quer que se olhe há uma diferente montanha de roupas, sendo que grande parte é queimada. Um desses fogos queimou durante 11 meses. 

Para ler na íntegra em ABC News

Fome Madagáscar
créditos: WFP/TSIORY ANDRIANTSOARANA

3. Madagáscar é o primeiro país onde se passa fome devido às alterações climáticas

Depois de quatro anos sem chuva, Madagáscar está a passar pela primeira "fome provocada pelas mudanças climáticas" do mundo, de acordo com a ONU.  

As pessoas viram-se obrigadas e alimentarem-se de insectos e cactos e mais de 500 mil crianças correm o risco de sofrer desnutrição grave.

“Essas pessoas nada fizeram para contribuir para a mudança climática”, disse Shelley Thakral, do Programa Alimentar Mundial da ONU. “E ainda assim estão a arcar com o impacto da mudança climática”.

Para ler na íntegra em BBC News

Petróleo
créditos: AFP or licensors

4. Dinamarca e Costa Rica formam uma aliança anti-petróleo e anti-gás

A Dinamarca e a Costa Rica estão a tentar formar uma aliança de países dispostos a estabelecer uma data para interromper a produção de petróleo e gás e parar de conceder licenças para novas explorações. 

Já existem vários países interessados, como a Nova Zelândia, mas há também outros que preferem continuar a evitar o problema - como é o caso do Reino Unido, que organiza e sedia a próxima cimeira do clima da ONU, a COP26, que acontecerá em Glasgow de 31 de outubro a 12 de novembro.

Para ler na íntegra em Reuters

Voluntários da associação ambiental
TIAGO PETINGA/LUSA créditos: © 2020 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.

Por cá: O que está a fazer Portugal contra as alterações climáticas? As dúvidas de um especialista

Portugal tem aprovado dezenas de medidas de combate às alterações climáticas, envolvendo milhões de euros, e tem agora mais 13 mil milhões para uma “transição verde”, mas podem ser insuficientes ou estarem mal direcionadas.

Para ler na íntegra em SAPO24

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.