“O balanço é muito positivo, tanto em termos da implementação no terreno das regras definidas, como ao nível do comportamento dos utentes que maioritariamente têm respeitado o distanciamento social e outras normas definidas”, informou a APA, numa resposta escrita enviada à Lusa.

Segundo a instituição, muitas das regras foram implementadas pela primeira vez, devido à pandemia da covid-19, mas “os portugueses têm acolhido de forma tranquila e colaborante as recomendações que são feitas pelas autoridades”.

Além disso, destacou o “trabalho conjunto” com autarquias, concessionários, capitanias e forças policiais na adaptação e preparação de cada espaço.

“Portugal tem sido um exemplo a nível europeu e mundial na gestão destes espaços, destacando-se o forte envolvimento e a articulação entre todas as entidades, permitindo que as regras definidas fossem implementadas em tempo útil”, frisou.

De acordo com a APA, o mês de junho “caracterizou-se por um menor número de utentes”, mas esta diminuição acabou por ser útil para “afinar todos os mecanismos de avaliação e fiscalização”.

Já no atual mês de julho “houve efetivamente uma maior afluência”, mas o sistema de informação e avaliação da lotação das praias “tem permitido gerir a situação”, garantiu.

“Como aspetos a melhorar e que têm sido objeto de especial atenção, destacam-se a garantia da articulação da informação que se expõe na praia (bandeira triangular) e na ‘app’ Info Praia, o controlo de desportos de grupo e o controlo do estacionamento nos locais com maior afluência”, indicou.

Ainda assim, a APA referiu que a aplicação “tem registado um bom desempenho” e que tem sido atualizada e melhorada sempre que necessário.

“Está a ser preparada mais uma atualização, para incluir as praias das Regiões Autónomas e uma indicação da tendência de ocupação longo do dia em cada dia da semana, tendo por base o histórico de ocupação”, anunciou.

Este ano, a época balnear iniciou-se oficialmente em 06 de junho no Algarve, Almada, Cascais e na praia da Nazaré, enquanto nas restantes regiões do país as datas de arranque foram variáveis e faseadas entre 13 e 27 de junho.

No entanto, na nota divulgada, APA garantiu que “em nenhuma praia foi condicionada a sua abertura associado a medida de prevenção à propagação da covid-19”.

“Algum atraso que possa existir no início da época balnear prende-se com a execução de obras das infraestruturas ou acessos de apoio que não foram concluídos a tempo”, explicou.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.