A ação judicial também abrange aliados de Trump, como é o caso do amigo e antigo conselheiro Roger Stone e elementos da campanha do ex-governante, bem como membros dos grupos de extrema-direita Proud Boys e Oath Keepers, que também estiveram na zona do Capitólio e em Washington no dia da invasão da sede do poder legislativo norte-americano, em 06 de janeiro deste ano.

Os acontecimentos ocorridos nesse dia ficaram marcados pela morte de cinco pessoas e mais de uma centena de polícias agredidos por uma multidão composta por apoiantes do ex-Presidente norte-americano Donald Trump.

Cerca de 10 mil pessoas cercaram e várias centenas forçaram a entrada no Capitólio, quando os congressistas estavam a certificar o resultado das eleições presidenciais de novembro de 2020 e a vitória do atual Presidente, o democrata Joe Biden.

A ação apresentada junto de um tribunal federal em Washington pelos sete agentes — que afirmam ter sido atacados e espancados durante a rebelião — alega que Trump “trabalhou com supremacistas brancos, com grupos extremistas violentos e apoiantes de campanha para violar a lei conhecida como ‘Ku Klux Klan Act’ [de 1871] e cometer atos de terrorismo doméstico num esforço ilegal para permanecer no poder”.

Outras duas ações judiciais de contornos similares foram apresentadas nos últimos meses por membros democratas do Congresso norte-americano.

Os dois processos judiciais alegam igualmente que as ações de Donald Trump e dos seus aliados conduziram à invasão do Capitólio.

A invasão da sede do Congresso norte-americano aconteceu algumas horas depois de Trump se ter dirigido a uma multidão composta por milhares de apoiantes, durante um comício realizado nas imediações da Casa Branca, e de ter defendido que estes nunca deveriam aceitar uma derrota, numa referência aos resultados das presidenciais de novembro de 2020.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.