Alba González Sanz anunciou na quarta-feira, 15 de janeiro, a renúncia ao cargo de diretora-geral do Ministério da Igualdade espanhol liderado por Irene Montero, conta o El Mundo. Esta é a primeira baixa no ministério liderado  pela mulher do líder do Podemos, Pablo Iglesias.

Na segunda-feira, 13 de janeiro, Alba agradeceu no Twitter a oportunidade de desempenhar esta função: "Obrigada por todas as demonstrações de amor, pelo incentivo. É uma honra fazer parte do Ministério da Igualdade e fazê-lo com companheiras incríveis", pode ler-se numa delas.

No entanto, dois dias depois, voltou à rede social para anunciar a sua despedida. "Se sabemos algo no feminismo é que a representação e o simbólico importam. Temos organizado a equipa deste Ministério para que haja uma presença visível de mulheres pertencentes a grupos racializados. Isso significa que não assumirei a direção-geral", afirmou.

Segundo a imprensa espanhola, foi o facto de Alba González ser branca que levou à demissão.

"Desejo muito ânimo, sorte e bom senso à companheira que ocupar o lugar e coloco-me à sua disposição se lhe puder ser útil na tarefa ampla e diversa que tem pela frente", continuou. "Da minha parte, ficarei contente se continuar a fazer parte do projeto deste Ministério da Igualdade, trabalhando pelos mesmos objetivos de distribuição de riqueza. Por um governo feminista!".

Segundo o El País, o cargo será ocupado por Rita Bosaho, militante do Podemos e de origem guineense, mas com nacionalidade espanhola. Bosaho foi a primeira mulher negra a conseguir um assento no Congresso dos Deputados em 2016. Também o El Mundo, ABC e EFE avançam com o mesmo nome.

Até ao momento, Rita Bosaho ainda não reagiu à possibilidade de ficar com o cargo.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.