O candidato adiantou que decidiu avançar porque, "não sendo filiado no PS", este partido "entendeu escolher outro candidato para as eleições autárquicas, opção" que diz respeitar.

"Sinto-me com ânimo e forças para avançar", reforçou Albino Januário à Lusa, ao considerar que não quer pôr fim à obra que ajudou a "construir ao longo dos 12 anos" e que teme que possa "vir a ser esvaziada de sentido".

O autarca salientou ainda que gosta "imenso" de Porto de Mós, concelho onde nasceu, e entende que ainda tem "algo para dar", que pode "ser útil para consolidar em alguns aspetos iniciados em 2006 e desenvolver outras estratégias".

Albino Januário confirmou o apoio do CDS-PP, mas garantiu que a sua candidatura é independente, "sem qualquer simbologia de outros partidos".

O presidente da Comissão Concelhia Política do CDS-PP, Mário Cruz, disse à Lusa que a decisão de apoiar Albino Januário deve-se ao facto de se tratar de uma candidatura "renovada", liderada por uma pessoa com "grande experiência política" e que "integra pessoas fora da política".

Mário Cruz revelou ainda que as listas incorporarão também alguns elementos indicados pelo CDS-PP.

Nas últimas eleições autárquicas, o PS conquistou cinco mandatos e o PSD dois.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.