“Disse o dr. Rui Rio que admitia conversar para futuras pontes. Domingo é o dia para concretizar esses passos. Poderemos estar juntos na praça do Município e subir juntos a rua do Ouro, sinal de uma nova e revigorada direita que não se vergará aos interesses do sistema”, lê-se na missiva enviada pelo presidente demissionário do Chega ao líder social-democrata, à qual a Agência Lusa teve acesso.

André Ventura conclui o texto antecipando que “o futuro entre o Chega e o PSD pode começar no próximo domingo”.

A concentração do Chega está marcada para a Praça do Município, seguindo-se uma "marcha lenta pelas ruas da baixa de Lisboa", com passagem pela praça da Figueira e “término com intervenções públicas", novamente no largo fronteiro à Câmara Municipal de Lisboa, a fim de haver "maior interação com os cidadãos".

Esta concentração foi convocada depois do anúncio de várias manifestações antirracistas em Lisboa, Porto, Braga e Beja, homenageando o ator português Bruno Candé, assassinado a tiro no sábado passado, em plena rua de Moscavide.

Entretanto, também hoje, o Chega solicitou ao presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, um encontro na próxima semana para “discutir eleições presidenciais” [de janeiro de 2021], segundo fonte da direção.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.