António Costa, que discursará no hemiciclo a partir das 10:00 locais (09:00 de Lisboa), será o terceiro líder europeu a participar neste ciclo de debates com a assembleia, iniciado este ano, depois dos primeiros-ministros da Irlanda, Leo Varadkar, em janeiro, e da Croácia, Andrej Plenkovic, em fevereiro, e antes do Presidente francês, Emmanuel Macron, o “convidado de honra” da sessão plenária de abril.

De acordo com uma nota do gabinete do primeiro-ministro, em destaque na intervenção de António Costa estará “a resposta da União Europeia aos anseios dos seus cidadãos” em matérias como as alterações climáticas, segurança e defesa, migrações, crescimento e emprego, e transição digital.

“Portugal defende que só uma União Europeia forte será capaz de responder a estes desafios. Para tal, há que dotá-la de um quadro financeiro plurianual adaptado às expectativas dos cidadãos europeus. Para garantir a estabilidade na União é também necessário completar o nosso projeto mais ambicioso: a União Económico Monetária, permitindo-lhe promover a convergência e corrigir as assimetrias entre os seus membros”, lê-se na mesma nota, que antecipa a mensagem principal que António Costa transmitirá na quarta-feira ao Parlamento Europeu.

Após o debate, que durará cerca de duas horas e será seguido de uma conferência de imprensa conjunta com o presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, com quem terá um almoço de trabalho, António Costa (que foi eurodeputado entre julho de 2004 e março de 2005, até assumir o cargo de ministro da Administração Interna) encontra-se à tarde com os eurodeputados e funcionários portugueses.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.