Em comunicado, a GNR esclareceu que, durante uma ação de fiscalização, os militares da Guarda detetaram numa das câmaras de refrigeração do mercado, “diversas caixas que continham 420 quilos de pescado que aparentava não estar em condições de consumo”.

“No seguimento da ação foi contactada a Direção-Geral da Alimentação e Veterinária (DGAV) de Aveiro, que após realizar a devida verificação higiossanitária, declarou o pescado como impróprio para consumo, motivo que levou à sua apreensão”, refere a mesma nota.

Ainda segundo a GNR, foi identificada a representante legal da empresa, uma mulher de 46 anos, tendo sido elaborado o respetivo auto de contraordenação contra a genuinidade, qualidade ou composição de géneros alimentícios, cuja coima pode ascender aos 2.500 euros.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.