Cada país doará 250 milhões de dólares para ajudar na alimentação de mais de 10 milhões de pessoas, declarou à imprensa em Riade Abdallah Rabiah, supervisor-geral do Centro de Ajuda e Assistência Humanitária Rei Salman (KSrelief).

Adiantou que as doações se destinam às agências das Nações unidas e às organizações não-governamentais locais e internacionais que trabalham no Iémen.

Os dois países e o Kuwait já contribuíram com 1,25 mil milhões de dólares (mais de 1,09 mil milhões de euros) para o plano de intervenção humanitária da ONU no Iémen para 2018, segundo Rabiah.

A coligação internacional conduzida pela Arábia Saudita começou a intervir militarmente no Iémem em 2015 para apoiar o presidente iemenita, Abd Rabbo Mansur Hadi, depois dos rebeldes Huthis terem ocupado a capital Sanaa no ano anterior.

Mais de 10.000 pessoas morreram na guerra no Iémen, que causou a pior crise humanitário do mundo, segundo a ONU.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.