Manuel Alegre, dirigente "histórico" socialista, assumiu estas posições numa mensagem que transmitiu à agência Lusa, depois de tomar conhecimento da morte do presidente honorário do PS e antigo ministro dos Assuntos Sociais António Arnaut, hoje, em Coimbra, aos 82 anos.

"Estou muito abalado, era um dos meus maiores amigos de há muito tempo. António Arnaut é o socialista mais genuíno que conheci", declarou o antigo conselheiro de Estado.

Na sua mensagem, Manuel Alegre salientou que, enquanto ministro dos Assuntos Sociais do II Governo Constitucional, liderado por Mário Soares, entre 1977 e 1978, o país "deve-lhe o SNS".

"A maior homenagem que se lhe pode fazer é cumprir o último apelo que António Arnaut fez: Salvar o SNS", frisou.

Para Manuel Alegre, António Arnaut foi ao longo da sua vida "um homem completo, integral e sempre coerente nas suas posições".

"Sempre defendeu o socialismo, o socialismo em liberdade, o socialismo em democracia. Não era apenas uma palavra, era uma forma de vida. Já não há pessoas como o [António] Arnaut", acrescentou Manuel Alegre.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.