Bowles, de 57 anos, era conhecido como o "Assassino da I-95" — em referência à estrada que liga a costa este dos Estados Unidos de norte a sul —, por ter matado as seis vítimas em mais do que um estado ao longo dessa via.

Em 1994, foi capturado em Jacksonville, nordeste da Flórida, pelo assassinato de Walter Hinton.

Hinton foi a sexta vítima de uma série de assassinatos que começaram em Daytona Beach, Flórida, com a morte de John Hardy Roberts. As seis vítimas foram mortas em cidades dos estados da Flórida, Maryland e Geórgia.

Bowles foi condenado à morte em 1999. A execução foi cumprida esta quinta-feira depois de o Supremo Tribunal da Flórida ter negado vários recursos para suspender a execução por injeção letal.

Na sua última declaração escrita, Bowles pediu perdão pelos "sofrimentos" que causou. "Jamais desejei que minha vida se parecesse com isto. Ninguém acorda um dia e decide ser um assassino em série", disse.

O jornal Washington Post publicou, em 1994, um perfil de Bowles, que na ocasião era fugitivo, e no qual narra os maus-tratos sofridos pelo padrasto e o abandono da mãe. Fugindo de casa, dedicou-se à prostituição para sobreviver. Desde então, foi preso várias vezes, inclusive por agredir e violar a namorada.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.