Na sua intervenção, na sessão inaugural da controversa Assembleia Constituinte, Delcy Rodriguez interpelou a comunidade internacional sobre a posição que tem tido face à AC e instou a “não se enganar com a Venezuela”, vincando que são os venezuelanos quem têm de resolver as suas diferenças.

“À comunidade internacional, não se equivoquem com a Venezuela. A mensagem é clara. Nós, venezuelanos resolveremos os nossos conflitos, as nossas crises, entre venezuelanos, sem nenhum tipo de interferência estrangeira, sem nenhum tipo de mandado imperial”, disse.

“Aos aliados históricos da direita e da burguesia local, dizemos-lhe ser hora de começarem a ver o povo da Venezuela (…) esta Constituinte se encarregará de fazer-lhes entender de que são feitos os venezuelanos”, frisou.

Delcy Rodríguez iniciou a sua intervenção salientando que a chegada da AC se traduz no exercício do poder “soberano e plenipotenciário”.

“Chegámos para sarar a Venezuela das feridas da guerra económica. Não haverá mais um instrumento que facilite a agressão multiforme à nossa economia. Estamos no poder e temos o poder para combater a guerra económica”, garantiu.

Delcy Rodríguez disse ainda que a primeira sessão da nova AC se realiza sábado, pelas 11:00 locais (16:00 em Lisboa), para a “renovação constitucional e o entendimento nacional”.

A eleição da Assembleia, no passado domingo, foi boicotada pela oposição, que a considera ilegítima.

A vaga de contestação contra o governo de Maduro começou em abril passado e desde então mais de 120 pessoas perderam a vida.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.