O projeto que recomenda ao Governo "a valorização do aeroporto de Beja enquanto instrumento para o desenvolvimento da região", que tinha sido entregue pelo PCP há três anos, a 07 de julho de 2016, foi aprovado na generalidade com os votos a favor das bancadas do PSD, CDS-PP, BE, PCP, PEV e PAN e de dois deputados do PS, Norberto Patinho, eleito por Évora, e Pedro Carmo, eleito por Beja, e a abstenção dos restantes deputados socialistas.

Já o projeto de resolução que tinha sido entregue pelo BE no passado dia 11 de junho a recomendar ao Governo a eletrificação dos troços ferroviários Beja-Casa Branca e Beja-Funcheira da Linha do Alentejo foi aprovado na generalidade com os votos a favor das bancadas do PS, CDS-PP, BE, PCP, PEV e PAN e a abstenção do PSD.

Quatro dos cinco pontos com medidas de outro projeto de resolução, entregue há quase um ano pelo PCP e que recomenda ao Governo a conclusão da Autoestrada 26 e o cumprimento do previsto para o Alentejo no Plano Rodoviário Nacional, foram aprovados na generalidade com votos a favor das bancadas PSD, CDS-PP, BE, PCP, PEV e PAN, de seis deputados do PS e do ex-deputado socialista e atualmente não inscrito Paulo Trigo Pereira e contra dos restantes deputados socialistas.

Adotar medidas para "solução imediata" dos "graves problemas" no IP8, assegurar e calendarizar as obras para conclusão da A26 sem portagens até Vila Verde de Ficalho, passando por Beja, e abrir ao trânsito o troço já concluído, concretizar um plano de investimentos para qualificar a rede viária no Alentejo e cumprir na íntegra o previsto para a região no Plano Rodoviário Nacional são as medidas recomendadas nos quatro pontos do projeto aprovados.

Em relação à A26, que deveria ligar Sines e Beja, as obras dos troços entre Santa Margarida do Sado e Beja foram canceladas e o troço com cerca de 10 quilómetros entre o nó Grândola Sul da A2 e Santa Margarida do Sado, no concelho de Ferreira do Alentejo, está concluído, mas ainda não abriu ao trânsito, porque a praça de portagens não está concluída.

O quinto ponto do projeto, que recomendava ao Governo iniciar um processo de extinção do contrato de parceria público-privada relativo à Concessão Baixo Alentejo com vista à gestão pública da rede viária abrangida, foi votado à parte a pedido do deputado Paulo Trigo Pereira e rejeitado por maioria.

Os três projetos de resolução foram aprovados na generalidade e baixaram à Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas.

O parlamento também discutiu hoje uma petição pública com exigências na área das acessibilidades no Alentejo, que tinha sido lançada pelo movimento de cidadãos "Beja Merece +", subscrita por 26 mil pessoas e entregue no parlamento em maio de 2018.

A petição exige a retoma e a conclusão das obras da Autoestrada 26 até Vila Verde de Ficalho, passando por Beja, a eletrificação dos troços ferroviários Beja-Casa Branca e Beja-Funcheira da Linha do Alentejo, o "total aproveitamento" do aeroporto de Beja e melhores serviços de saúde para o Baixo Alentejo.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.