Durante uma visita à Agro 2019, em Braga, Assunção Cristas considerou ainda que o executivo de António Costa “apregoa e depois não cumpre e vive de medidas ilusórias”.

“Ainda hoje era notícia que a verba que tinha apregoada e anunciada para as próprias câmaras poderem substituir-se aos proprietários dos terrenos não está a ser utilizada, porque as regras também não estiveram cá fora e as autarquias não se puderam candidatar. E agora, ainda por cima, vem dizer que só quem fez despesa é que se pode candidatar. É um Governo que engana tudo e todos, setor a setor”, acusou, referindo-se à limpeza de terrenos florestais.

A líder centrista referiu ainda que, nos contactos que mantém com representantes de várias áreas, como estudantes do ensino superior ou jovens agricultores, ouve sempre a mesma coisa: “o Governo fala muito, mas faz pouco ou nada”.

Em relação ao défice, Assunção Cristas sublinhou que o que interessa é perceber como é que se chegou aos números anunciados pelo Governo.

“Não há nenhum milagre de Mário Centeno [ministro das Finanças], o que há é uma austeridade encapotada, escondida, com a carga fiscal máxima, com os serviços públicos mínimos e com investimento mínimo”, criticou.

As críticas foram ainda extensivas “à pior execução de fundos comunitários de sempre em todos os setores”.

“Não vemos a economia a crescer acima daquilo que seria expectável, está arrastada e não está liderante”, disse ainda.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.