O processo da certificação agora alcançada, válida até 2020, foi iniciado em 2014 e implicou "um rigoroso escrutínio da capacidade técnica e financeira".

"Foi processo longo e complicado. Candidatámo-nos e fomos aceites na lista de empresas que podem prestar serviços ao Vaticano por cumprirmos uma série de requisitos. Digamos que é o primeiro passo para poder trabalhar no Vaticano", disse.

Carlos Costa explicou que a certificação "concede ao Atelier o reconhecimento e aceitação legal, por parte do governo da Cidade do Vaticano, ficando a empresa apta a receber consultas para futuras intervenções e trabalhos na área da conservação e restauro".

"Numa linguagem mais corrente e fazendo um paralelismo com o mundo do futebol, diria que conseguimos o apuramento para a ‘Champions League’ do restauro. Agora, no meio dos melhores, vamos tentar ganhar alguns desafios. Se vamos conseguir não sei, mas o apuramento já ninguém nos tira", sublinhou, referindo que a candidatura teve "o apoio constante da embaixada de Portugal junto da Santa Sé".

A empresa de Viana "está habilitada a operar em duas categorias principais de conservação e restauro: Lavori restauro (restauro e manutenzione dei beni immobili sottoposti a tutela) e Restauri speciali (Superfici decorate e beni mobili di interesse storico ed artistico)".

"O Vaticano é possuidor de algumas das mais valiosas coleções de obras de arte do mundo, detendo um vasto e único conjunto patrimonial histórico e artístico", realçou Carlos Costa, referindo que "os próximos três anos irão apresentar grandes desafios, estudando processos de obras, intervenções, na tentativa de conseguir a adjudicação de trabalhos de conservação e restauro".

Em Portugal, o Atelier Samthiago já efetuou trabalhos de conservação e restauro no Mosteiro dos Jerónimos, Palácio Nacional da Pena, Igreja dos Clérigos, Catedral de Santarém, da Guarda, de Viana do Castelo, de Silves, Palácio Nacional de Belém, Castelo São Jorge, entre outros.

Em Espanha, a empresa está "agora a começar a trabalhar em monumentos importantes”, mas já realizou trabalhos no centro histórico de Santiago Compostela, Catedral de Jaca, Catedral de Vigo, Muralhas Reais de Ceuta, Palácio da Junta das Astúrias, Igreja de Santa Maria de Olivença, entre outros.

Em maio passado, a empresa foi distinguida com a Menção Honrosa ‘Boas Práticas' na edição 2018 dos prémios SOS Azulejo, pela intervenção de "Reabilitação dos painéis em azulejo de Fred Kradolfer, nos miradouros de Lisboa".

Esta intervenção nos azulejos foi realizada em 2017 pela empresa para a Câmara Municipal de Lisboa.

Na sua apreciação, o júri considerou que "os galardoados em 2018 contribuíram para a defesa e valorização do património azulejar português com trabalhos de excecional qualidade".

Os prémios SOS Azulejo têm por objetivo reconhecer, valorizar, dar visibilidade e fomentar ações de proteção e valorização do património azulejar português e/ou de origem/tradição portuguesa.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.