Em comunicado enviado às redações, o grupo ativista climático informa que "esta manhã, apoiantes do Climáximo entraram no Aeródromo de Cascais, pintando um jato que estava estacionado na pista e bloqueando-o com os seus corpos, causando a paragem do funcionamento da infraestrutura".

Fonte da esquadra da PSP de São Domingos de Rana, freguesia onde se insere o aeródromo, disse que alguns dos seus elementos foram para o local. Posteriormente, o grupo informou que seis ativistas foram detidos.

Em causa está um protesto contra "os voos de luxo dos super-ricos e a hipocrisia criminosa dos líderes mundiais que se deslocam à COP28 num meio de transporte que é o pináculo da injustiça climática".
"Os líderes mundiais, ao deslocarem-se de jato privado aos Emirados Árabes Unidos para 'negociações climáticas', pintam uma imagem da realidade tão nítida como a tinta vermelha que os denuncia", diz Viriato Afonso, técnico de trabalhos verticais de 29 anos, que esteve no local.
"Jatos privados são armas de destruição em massa, não têm lugar numa sociedade em chamas", reiteram os ativistas.

No comunicado, acompanhado de fotos onde se podem ver alguns jovens acorrentados às rodas de um dos jatos estacionado e que foi pintado com tinta vermelha, o Climáximo lembra ainda: "A ONU afirma que o 1% tem de cortar mais de 97% das suas emissões, mas os voos duplicaram no ano passado".

créditos: Climáximo
Recorde-se que no passado dia 3 de dezembro os ativistas do grupo Climáximo pintaram a fachada MAAT, em protesto contra a atividade da EDP na crise climática e o uso da sua fundação para “lavar a imagem”.

O grupo Climáximo marcou, em conjunto com outras organizações, uma manifestação para a resistência climática, no dia 09, às 14:00, no Saldanha (Lisboa).

Os ativistas da Climáximo têm vindo a protagonizar vários protestos, entre os quais o atirar tinta ao ministro das Finanças e ao ministro do Ambiente, "colarem-se" a um avião que ia fazer a ligação entre Lisboa e Porto, no aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, ou partirem a montra de uma loja de luxo na Avenida da Liberdade.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.