Contactada pela agência Lusa, na sequência da notícia hoje publicada pelo Jornal Alto Minho, com o título “PJ investiga Câmara de Ponte de Lima desde 2005”, a mesma fonte escusou-se a revelar a matéria do inquérito que corre no Departamento de Investigação Criminal da Polícia Judiciária (PJ) de Braga.

A Lusa contactou o atual presidente da Câmara de Ponte de Lima, Vasco Ferraz, mas ainda sem sucesso. Já o ex-autarca, Victor Mendes, confirmou ter sido notificado, mas disse desconhecer o assunto em causa.

De acordo com a notificação remetida no dia 11 para Câmara Municipal de Ponte Lima, e a que a Lusa teve hoje acesso, a investigação foi iniciada em 2020.

No documento, a PJ solicita àquela autarquia do distrito de Viana do Castelo que notifique os 16 arguidos para prestarem declarações nos dias 02 e 03 de novembro no posto territorial da GNR de Ponte de Lima.

A PJ vai ainda ouvir o atual vice-presidente, Paulo Sousa, ex-vereadores que exerceram funções em mandatos iniciados em 2005, quando a Câmara era presidida por Daniel Campelo, que não consta da notificação da PJ, e três chefes de divisão daquela autarquia.

O início das inquirições está previsto para as 10:00 e o fim para 15:30.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.