"O EI tem uma crescente capacidade de dirigir e inspirar ataques contra um amplo leque de objetivos no mundo", declarou Clapper no relatório anual das ameaças globais, apresentado hoje ao Congresso americano.

No relatório, James Clapper refere que extremistas com base nos Estados Unidos representam “a ameaça terrorista sunita mais significativa”.

Segundo Clapper, estes “extremistas violentos” podem ter inspirado os ataques terroristas, em 2015, nas bases militares de Chattanooga, em Tennessee, e em San Bernardino, na Califórnia.

James Clapper refere que estes terroristas são influenciados por "meios altamente sofisticados" do grupo radical Estado Islâmico e por "indivíduos nos Estados Unidos ou no exterior que recebem orientações diretas e específica dos membros EI".

No documento, o diretor dos serviços de informações dos EUA adianta que a ameaça do EI aumenta à medida que se expande para a Líbia e constrói uma rede global de células terroristas, simpatizantes e grupos armados aliados.

"O Estado Islâmico do Iraque e do Levante tornou-se a ameaça terrorista predominante por causa do autoproclamado califado na Síria e no Iraque, ramificações em outros países e a crescente capacidade para dirigir e inspirar ataques contra muitos alvos no mundo”, disse.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.