Na reunião, na sede do Infarmed, em Lisboa, apenas estarão presentes o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, e o primeiro-ministro, António Costa, além da ministra da Saúde, Marta Temido, e dos especialistas.

Os restantes, ou seja, representantes dos partidos, membros do Conselho de Estado ou parceiros sociais, vão participar na sessão por videoconferência.

A reunião, na véspera do Conselho de Ministros, ocorre numa altura em que a incidência de infeções com o coronavírus SARS-CoV-2 subiu para 1.805,2 casos por 100 mil habitantes e o índice de transmissibilidade (Rt) também registou um aumento, passando para 1,43.

Os especialistas ouvidos pelo jornal 'Público' não esperam que da reunião saia um agravamento de medidas.

“Não estou à espera de medidas adicionais. Espero que da reunião saia a sugestão da simplificação de processos e procedimentos para permitir manter algum controlo da pandemia, deixando a sociedade funcionar. Receio que a inflexibilidade ou a lentidão em mudar de atitude venha colocar em causa o que se tem feito”, disse à publicação Bernardo Gomes, especialista em saúde pública.

Os dados mais recentes da Direção-Geral da Saúde indicam que Portugal registou 25.836 novas infeções, mais 15 mortes associadas à covid-19, houve um novo aumento dos internamentos e estão activos 213.749 casos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.