"O Chega lamenta a tentativa de agressão com arma branca de que foi alvo o seu candidato à Câmara Municipal de Palmela, Afonso Brandão", refere o partido num comunicado enviado às redações, no qual dá conta de que "o incidente ocorreu ontem, sábado, durante uma ação de campanha na freguesia da Quinta do Anjo, no concelho de Palmela”, distrito de Setúbal.

O partido liderado por André Ventura explica que "a pessoa em causa, munida de uma faca de cozinha, se aproximou da comitiva de arma em punho e tentou atingir o candidato Afonso Brandão, que, felizmente, conseguiu escapar ileso ao ataque, tendo, posteriormente, apresentado queixa no posto da GNR mais próximo".

"O Chega considera que episódios como o que ocorreu ontem são um ataque à liberdade política e de expressão dos cidadãos e um vil ataque direcionado ao Chega, ao qual se juntam as ofensas e ameaças que todos os dias são feitas aos dirigentes, militantes e apoiantes do partido", salienta.

O partido lamenta que "em plena democracia ocorram episódios desta natureza, que mais não são do que uma prova de que existe uma enorme falta de cultura democrática na sociedade quando se trata do Chega, dos seus dirigentes, candidatos, militantes e apoiantes".

Investigação sobre tiros em Palmela a cargo da Polícia Judiciária

Este é será o segundo incidente associado à campanha autárquica em Palmela. A GNR remeteu para a Polícia Judiciária a investigação do caso de disparos de uma arma de fogo denunciado por uma pessoa que afixava cartazes eleitorais na noite de sexta-feira.

Em comunicado, a Guarda Nacional Republicana explica que pelas 22:20 recebeu uma denúncia via 112, que dava conta de disparos de uma arma de fogo por dois indivíduos que se faziam transportar num motociclo.

A denúncia telefónica terá sido feita por um trabalhador de afixação de cartazes eleitorais que se encontrava a laborar no local, e posteriormente pelo alegado proprietário de uma habitação.

Segundo a GNR, foi feita inspeção do local na tentativa de recolher qualquer vestígio tendo os factos, pela natureza do crime, sido comunicados à Polícia Judiciária, que detém a competência para investigação.

Relativamente a estes factos, adianta a GNR, foi recebida uma queixa no Posto de Palmela e foi elaborado Auto de Notícia.

O CDS-PP comunicou este sábado que a candidata do partido à Junta de Freguesia de Palmela, Setúbal, foi surpreendida na noite de sexta-feira por um tiroteio, quando se encontrava a colocar material publicitário.

A GNR assegurou à agência Lusa que na inspeção ao local não foram encontrados quaisquer indícios de causalidade entre os disparos e a afixação de cartazes eleitorais por parte da candidata.

Em comunicado, o CDS explicou que, por volta das 22:30, Linda Oliveira encontrava-se a colocar uma faixa publicitária relativa às eleições autárquicas marcadas para o dia 26, na Avenida dos Caminhos de Ferro, quando “foi apanhada no meio de um tiroteio”.

Segundo o relato, “uma mota sem matrícula e sem luzes, com dois indivíduos todos vestidos de preto, aproximou-se do grupo de candidatos” e terá disparado “dois tiros em direção aos presentes”.

“Não satisfeitos, depois de passarem pela candidata, voltaram a disparar mais dois tiros, acertando numa vivenda ao lado, assustando os residentes, que se atiraram para o chão”, lê-se no comunicado.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.