O ICCT realizou estudos que mostraram discrepâncias entre os valores das emissões registados em testes de laboratório e os que se registavam realmente nas estradas, estudos esses que deram origem ao escândalo de manipulação de dados de emissões por parte do grupo Volkswagen nos Estados Unidos.

Para o novo estudo, os cientistas do ICCT utilizaram dados, tanto da Alemanha como da Finlândia, que mostram que os automóveis a diesel geram entre 480 e 560 miligramas de emissões por quilómetro, enquanto os camiões e autocarros só emitem 210 miligramas por quilómetro.

O ICCT considera que os resultados do estudo mostram mais uma vez a necessidade de complementar os testes de emissões realizados em laboratório com testes de estrada.

Esses testes começarão a ser introduzidos na UE a partir de setembro para veículos particulares, sendo já obrigatórios para camiões.

O Governo alemão escusou-se a comentar o estudo, mas recordou que desde 2011 se trabalha a nível europeu, por iniciativa alemã, para introduzir medições em condições de estrada e não de laboratório.

A organização não-governamental alemã Deutschen Umwelthilfe (DUH) declarou hoje em comunicado que o estudo confirma outras investigações realizadas na primavera do ano passado.

A DUH recordou que o limite de emissões para autorizar a circulação de automóveis particulares do tipo Euro 6 é de 80 miligramas por quilómetro, pelo que muitos modelos diesel novos não teriam sido autorizados a circular se fossem obrigatórias as medições em estrada.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.