Pedro Miguel Carvalho disse à agência Lusa que a libertação do seu cliente do Estabelecimento Prisional de Paços de Ferreira aconteceu na quarta-feira, mas que só recebeu a notificação da decisão do tribunal nesta quinta-feira.

José Queirós completava cinco sextos da pena a 27 de fevereiro de 2018.

O arguido cumpria uma pena única de 25 anos de prisão, pela prática, como autor, de um crime de incêndio, de 13 crimes de homicídio qualificado consumados e de 22 crimes de homicídio qualificado tentados, por factos ocorridos em 1997.

Todos os pareceres apreciados pelo Tribunal de Execução de Penas, incluindo o do Ministério Público, apontavam no sentido da concessão da liberdade condicional nesta fase do cumprimento da pena.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.