“Sabemos que as ordens vieram da zona do Estado Islâmico. Sabemos que vieram de elementos muito altos na hierarquia de comando do grupo”, disse hoje Frederic Van Leeuw, em entrevista à agência AFP.

O procurador belga não pôde dizer exatamente quem deu as ordens dentro da estrutura de comando do grupo extremista nem se estas foram oriundas das bases na Síria ou no Iraque, em territórios liderados pelo autodenominado califa do Estado Islâmico Abu Bakr al-Baghdadi.

Frederic Van Leeuw adiantou que a estrutura de comando do Estado Islâmico “moveu-se” entre os dois países para escapar aos ataques da coligação internacional liderada pelos EUA: “Baghdadi esteve um tempo em Mossul (Iraque), por vezes em Raqa (Síria)”, frisou.

O Estado Islâmico reivindicou a autoria dos atentados que mataram 130 pessoas em 13 de novembro de 2015 em Paris, bem como dos ataques ao aeroporto e a uma estação de metro de Bruxelas, em março deste ano, que resultaram em 32 vítimas mortais.

O procurador federal disse ainda que os ataques foram levados a cabo pela mesma célula terrorista franco-belga e que os responsáveis da logística do primeiro ataque, transformaram-se nos operacionais do segundo.

As autoridades ainda estão à procura de suspeitos ligados ao grupo terrorista: “A investigação está longe de estar terminada, tanto na Bélgica como em França”, acrescentou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.